Varejistas precisam se adaptar para receber pagamentos com Pix

 testeira-dino-pix

Empresa de tecnologia agiliza integração do sistema em suas soluções e projeta um impacto positivo no consumo e no crédito

Essa é a hora do mercado se preparar para receber pagamentos com o Pix e as principais carteiras digitais, garantindo a melhor experiência para os clientes

O Pix, plataforma de pagamentos instantâneos do Banco Central, está chamando a atenção pela agilidade, praticidade e pela promessa de se estabelecer como um dos principais meios de pagamento do futuro. O sistema, que entra oficialmente em operação em novembro, gerou uma corrida contra o tempo entre os varejistas, que precisam adaptar o negócio para não perder vendas nesse momento de retomada comercial.

“Com a chegada do Pix, as transações ficarão ainda mais fáceis. A praticidade deve ser um grande atrativo para o consumidor utilizá-lo e, por isso, devemos ter um impacto positivo no consumo e no crédito. Essa é a hora do mercado se preparar para receber pagamentos com o Pix e as principais carteiras digitais, garantindo a melhor experiência para os clientes”, explica Denis Piovezan, VP de Linx Pay Hub.

Nos bastidores, as soluções começam a ser adaptadas. Para apoiar seus clientes, a Linx, empresa líder e especialista em tecnologia para o varejo, prepara seus sistemas para a nova forma de pagamento. A integração será realizada por meio da solução QR Linx, espécie de hub que centraliza as principais carteiras digitais do mercado, como: Mercado Pago, AME, PicPay, banQi e Merci/Bip, integradas às automações da empresa por meio de leitura de QR Code. O varejista que contar com o QR Linx garantirá, por exemplo, que os pagamentos recebidos com o Pix estejam integrados ao PDV e ao processo de vendas sem impactar a operação.

Outro desafio no radar do varejo, com a implementação de mais uma forma de pagamento, é a gestão de recebíveis e a conciliação. Para tornar o processo mais simples e seguro, a Linx incluiu o Pix no Conciliação Linx. A solução centraliza os recebimentos, compilando em uma única plataforma a visão de todos os meios de pagamento, sem a necessidade de entrar em diversos portais.

Com a previsão de que o Pix impacte profundamente o sistema financeiro, investir em boas soluções e na preparação para adotá-lo com rapidez é benéfico para os negócios. “A pandemia acelerou a digitalização dos meios de pagamentos e provocou uma mudança definitiva dos hábitos dos brasileiros nesse sentido. Essa é uma transformação que veio para ficar e devemos ver o público optando por formas de pagamentos rápidas e sem contato, mesmo após voltarmos ao normal”, finaliza Piovezan.

O executivo ainda prevê que a menor circulação do dinheiro em espécie poderá contribuir para um caminho de operações financeiras mais sustentáveis, colocando a pauta “Environmental, Social and Governance” (ESG), tão em alta no mercado financeiro, no radar do varejo.

 

Nosso website faz uso de cookies. Para mais informações, acesse nossa Política de Cookies.

Vendas