Fale com o
time de vendas

Linx cria vertical para ganhar mercados de vizinhança

 mercado_proximidade_press_release

Primeira solução, Linx Empório visa gestão completa do negócio e se adapta às lojas autônomas

Durante a pandemia, a conveniência bateu à porta do consumidor. Empórios e minimercados de bairro passaram por um crescimento sem precedentes, inclusive com a chegada de empresas de grande porte ao setor e popularização novos formatos, como lojas autônomas, híbridas ou dentro de condomínios. De olho no aquecimento do setor com grande potencial para o futuro, a Linx, empresa líder em tecnologia para o varejo, com 45,6% de market share do setor, anuncia uma nova vertical de negócio, a “Mercado de Proximidade”, dedicada a desenvolver e implementar softwares e ferramentas que solucionem as dores desses varejistas que se posicionam perto do consumidor final.

A nova frente de negócio oferecerá tecnologia de ponta a ponta para o varejo de vizinhança, como lojas de conveniência, mercados, minimercados, açougues, bombonieres, padarias, lojas de bebidas, empórios, mercearias e até lojas em condomínios. A aposta vem para posicionar a empresa em um nicho novo, mas que deve ganhar ainda mais força após a pandemia. “A conveniência deixou de ser exclusiva para postos de combustíveis. O novo consumidor, que se fortaleceu na pandemia, quer tudo próximo e rápido. Por isso, esses comércios, que cresceram tanto nos últimos anos, devem ganhar ainda mais espaço no mercado”, explica Samuel Carvalho, gerente de Mercados de Proximidade da Linx.

A exemplo, dados da Nielsen revelam que em 2019, mercados de “conveniência” derivados de hipermercados e supermercados somavam mais de 3.100 unidades no Brasil, o que representou um crescimento de 35% em três anos. E a tendência é esse número aumentar. Além disso, uma pesquisa da Accenture de agosto de 2020 revelou que 56% das pessoas estão mudando os hábitos para comprar mais do comércio local e 79% planejam comprar ainda mais nesses estabelecimentos após a pandemia, que segue acelerando as transformações. Para exemplificar como o varejista do setor também está mudando o comportamento, dados da GFK Brasil revelaram que 37,9% dos donos de pequenos estabelecimentos fizeram mudanças no mix de produtos nas lojas em 2020, e 11,5% ampliaram ofertas para produtos mais buscados por conta da pandemia.

Com o rápido crescimento dos comércios do gênero e a pressa para se posicionar no mercado, o varejista não tem se atentado à importância do sistema de gestão, principalmente se não é um franqueado. “Cada setor do varejo tem suas particularidades para a gestão do negócio. Não é diferente com os Mercado de Proximidade: esse setor funciona de um jeito bastante específico e precisa de soluções que enderecem seus problemas”, pontua Carvalho.

De acordo com o especialista, os principais desafios desse varejista estão na digitalização da operação, cadastro de produtos, controle de estoques, implementação do delivery e sistema adequado para expandir o negócio. “Quando você vai no mercadinho do condomínio, você quer encontrar o item procurado e fazer tudo rápido; e o varejista quer simplicidade para ver o estoque e conciliar os meios de pagamento, por exemplo. Mesmo tendo um visual moderno, até mesmo com lojas autônomas, ainda há uma barreira importante para digitalizar a gestão do negócio, mas é importante não só para a experiência do cliente, mas também para otimizar os esforços, facilitando processos e permitindo um olhar mais estratégico. O delivery deve estar presente nesse planejamento, integrando catálogos com grandes players do setor para aumentar o alcance da loja”, explica.

Primeira solução para o nicho

Para solucionar os gargalos, a nova vertical chega junto ao lançamento do Linx Empório, primeira solução dedicada aos mercados de proximidade. Com três opções de pacote para adesão – Pop, Pro e Autônoma –, a ferramenta oferece um sistema de gestão completo com simplicidade, eficiência, escalabilidade e automatização. “A Linx Empório elimina alguns problemas que impactam diretamente nas vendas, como a instabilidade de internet, com um PDV que não precisa de conexão. Como é um setor já mais avançado no conceito de autonomia, também já incluímos no portfólio dessa solução o fornecimento de totens de autoatendimento, agilizando processos e oferecendo mais liberdade para o consumidor na hora de comprar”, comenta Carvalho.

Pensando na fidelização dos clientes, a solução também possibilita um controle preciso para criação de promoções, descontos e programas de fidelidade. “Para o consumidor, é uma experiência mais ágil e personalizada, pois ele terá mais autonomia durante a compra. Nos dias de hoje, entregar uma jornada de consumo sem atritos é essencial para não perder a oportunidade de expandir a carteira de clientes, independentemente do tamanho do seu negócio”, finaliza o executivo da Linx.

Nosso website faz uso de cookies. Para mais informações, acesse nossa Política de Cookies.

Vendas pelo Whatsapp

Suporte
ao cliente