Compartilhe

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Twitter Compartilhar no Whatsapp

Sustentabilidade e e-commerce: tudo a ver

Sustentabilidade e e-commerce: tudo a ver

O varejo online pode fazer da sustentabilidade um recurso importante para aumentar sua eficiência, conquistar mais clientes e melhorar a sociedade. Veja como fazer:

A sustentabilidade é uma das principais tendências mundiais de negócios. Considerada como um dos quatro caminhos estratégicos para a expansão do varejo em 2021, é um tema importante tanto para um relacionamento mais próximo com os clientes, como para a saúde financeira das empresas.

No e-commerce, o papel da sustentabilidade vem sendo debatido com base em argumentos muito fortes, já que, ao mesmo tempo, o varejo online pode ser um caminho importante para a redução da “pegada ambiental” das empresas e uma fonte adicional de poluição.

O crescimento acelerado do e-commerce gera desafios em aspectos como:

  • Aumento do uso de embalagens: em 2012, muito antes do atual boom do e-commerce, as embalagens já eram responsáveis por 30% de todo o lixo sólido gerado nos EUA. Embalagens biodegradáveis ou feitas a partir do reuso de materiais são importantes para diminuir esse impacto;
  • Uso de dispositivos que usam muita energia, como smartphones e computadores;
  • Compras por impulso, que aumentam o volume de produtos sendo distribuídos;
  • Necessidade de contar com grandes data centers e estruturas de TI (mesmo que na nuvem;
  • Uso de veículos para transporte de pedidos muito granulares (um a um, em vez de um único pedido para uma loja física).

Já no lado positivo, o e-commerce reduz a “pegada de carbono” das empresas de diversas maneiras:

  • Diminuição do deslocamento dos consumidores para as lojas físicas;
  • Aumento da eficiência na distribuição de produtos, especialmente com o uso de sistemas como WMS e OMS;
  • Expansão dos pagamentos online, que evitam a produção e movimentação de papel-moeda;
  • Modelos de entrega ecologicamente corretos, com o uso de veículos elétricos e bicicletas.

Como reduzir o impacto ambiental do e-commerce?

Por se tratar de um problema com múltiplas causas, as respostas para o impacto ambiental das vendas online também dependem de diversos fatores. Aqui estão alguns caminhos para diminuir o consumo energético e as emissões de poluentes em sua cadeia de distribuição online:

1) Aumentar a eficiência da distribuição

A logística do e-commerce se baseia em otimizar as entregas para maximizar o retorno sobre o investimento em cada viagem. Quanto mais entregas forem realizadas por um único veículo, em uma determinada rota, menor o custo da distribuição e o consumo de combustíveis. O envio de um item, de um CD para a casa do cliente, tem o mesmo consumo de carbono de uma ida do cliente para uma loja para comprar 24 produtos. E a logística reversa nem entra nessa conta.

Existem vários caminhos para aumentar a eficiência da distribuição:

  • Reduzir o consumo de combustíveis no transporte: o uso de veículos elétricos em todo ou em parte do percurso, a adoção de veículos menores para circulação em regiões com trânsito mais difícil e até mesmo a roteirização para evitar curvas à esquerda têm impactos importantes sobre o consumo.
  • Estímulo ao “clique e retire”: a última milha é o trecho mais caro (financeiramente e ecologicamente) da logística. Varejistas que consigam evitar essa fase, estimulando o cliente a buscar os produtos nas lojas físicas, aumentam sua rentabilidade e diminuem sua pegada ecológica.
  • Uso das lojas como hubs de distribuição: quando as lojas físicas se transformam em pontos de distribuição de produtos, a logística passa a poder usar alternativas de entrega menos poluentes. Pode fazer muito sentido usar bicicletas para o delivery de refeições, medicamentos e compras pequenas de supermercados na vizinhança.
  • Mover itens entre as lojas físicas: a adoção de sistemas OMS, que fazem a orquestração do omnichannel no varejo, dá ao ecommerce uma capacidade maior de uso das lojas físicas como mini CDs. Dessa forma, as lojas podem ajudar umas as outras, completando pedidos e evitando o deslocamento de produtos do CD diretamente para o cliente.

gestão-estoques-digital

2) Aumentar a eficiência dos estoques

Uma parte menos visível da questão ambiental é a movimentação de produtos que não serão vendidos. Comprar errado significa estocar errado, levar para as lojas itens que vão encalhar, recolher os produtos não vendidos e descartá-los. Varejistas que possuem sistemas de previsão de demanda gerenciam muito melhor suas compras e, com isso, evitam desperdícios.

Em um varejo omnichannel, a previsão de demanda precisa levar em conta não apenas o perfil de consumo nas lojas físicas, mas também o atendimento aos pedidos online. A coleta de dados sobre os clientes e seus hábitos, desejos e necessidades é um recurso essencial para entender melhor o consumidor e organizar melhor os estoques, gerando mais resultados.

3) Estimular o uso de pagamentos digitais

O maior impacto ambiental do sistema de pagamentos está no papel-moeda. A cadeia de distribuição de dinheiro (produção, distribuição, armazenamento, proteção e devolução para os bancos) tem um forte impacto ambiental, que pode ser zerado com o uso de sistemas digitais de pagamento. Uma transação por PIX ou por link de pagamento, por exemplo, elimina a necessidade de pagamento em dinheiro ou por boleto bancário.

O uso de pagamentos digitais pode ser estimulado em determinados perfis de consumidores a partir de uma perspectiva ambiental. A ideia de eliminar o corte de árvores ou a poluição pelo envio de um boleto para a casa do cliente pode ser um incentivo suficiente para o pagamento pelo aplicativo, o que ainda traz o benefício extra de um maior entendimento do comportamento do consumidor.

Banner CTA_Infográfico PIX

4) Negócios por assinatura

Modelos de negócios baseados na assinatura de produtos têm uma vantagem em relação a ecommerces tradicionais: a previsibilidade da demanda. Essa previsibilidade permite otimizar ainda mais as entregas. Normalmente, a imprevisibilidade dos pedidos dos clientes faz com que seja preciso usar veículos de tamanhos diferentes a cada dia, muitas vezes passando pelo mesmo local com diferença de horas. Serviços de assinatura facilitam o planejamento das entregas e maximizam o uso do metro cúbico dos veículos de delivery.

A redução da pegada de carbono é uma questão urgente: o mundo tem menos de uma década para cortar em 45% os níveis atuais de emissões de poluentes para evitar grandes problemas ambientais. Em alguns pontos, as conquistas são incríveis: o uso de eletricidade nos data centers, por exemplo, cresceu 6% desde 2010, mesmo com um aumento anual de mais de 1.700% no volume de tráfego de dados. Isso significa que a digitalização dos negócios é um caminho importante para um varejo mais sustentável. É hora de repensar todos os aspectos do e-commerce e do varejo omnichannel para entregar resultados ainda melhores.

Quer saber como a Linx pode ajudar o seu negócio? Clique aqui.

Ir para

Nosso website faz uso de cookies. Para mais informações, acesse nossa Política de Cookies.

Vendas