Quanto tempo demora para ter um e-commerce?
E-commerce

Quanto tempo demora para ter um e-commerce?

A resposta rápida é “depende”. Saiba o que levar em conta na hora de ter um e-commerce e veja quando mais tempo pode significar mais qualidade, eficiência e faturamento 

Desenvolver um e-commerce (ou substituir uma plataforma que já não dá conta do recado) é um momento sempre importante para as empresas. Afinal de contas, essa é uma oportunidade para entrar ou acelerar o ritmo em um mercado que faturou R$ 169,6 bilhões em 2022 e projeta para este ano movimentar R$ 186 bilhões. 

Estar presente no mundo digital também é um caminho rápido e eficiente para estar em contato com os consumidores. Afinal de contas, atualmente 93% das jornadas de compra começam no digital – e mesmo que apenas uma parte delas seja finalizada online, ter um e-commerce robusto é um fator de qualidade e que gera credibilidade com o público. 

Quando é tomada a decisão de implementar um e-commerce (ou de fazer um upgrade em relação à plataforma já usada), uma pergunta frequente é “quanto tempo demora para o e-commerce estar no ar”. E essa é uma das perguntas mais difíceis de responder de antemão, por vários fatores: 

  • Quantos itens serão vendidos no e-commerce? Cada produto precisará contar com boas fotos e descrições para estimular a compra. Quanto maior o mix, e quanto mais itens não tiverem todas as informações, mais tempo levará para colocar o site em condição operacional.
  • Qual será a estratégia logística adotada? Quantas transportadoras parceiras serão colocadas no e-commerce e como se dará a integração dos dados com ela? Será preciso, por exemplo, contar com as tabelas de frete e prazo de cada empresa, para cada modalidade e local de entrega.
  • Quais os recursos de segurança e quem os fornecerá? Muitas soluções de e-commerce já contam com recursos de segurança, como certificados SSL, que podem aumentar a conversão em até 15%. As melhores plataformas do mercado oferecem soluções de segurança ponta a ponta para atender às necessidades do negócio e as demandas dos clientes. Como essas soluções não precisam ser adquiridas separadamente, esse é um fator que diminui o tempo de implementação. Ao mesmo tempo, é interessante avaliar ferramentas antifraude que possam ser configuradas e instaladas na plataforma, aumentando a segurança (mas impactando o tempo de integração e implementação).
  • Qual é a experiência do time interno com plataformas de e-commerce? Esse é um fator importante, pois acelera a decisão de investimento, facilita o alinhamento de processos e agiliza a implementação do sistema de vendas online.
  • É preciso escrever ou adaptar conteúdo de acordo com as melhores práticas de SEO? Otimizar o site para mecanismos de busca é essencial para que o seu e-commerce seja encontrado. Se for preciso reescrever descrições de produtos ou páginas institucionais para atender às melhores práticas de SEO, a implementação certamente demorará mais.
  • Será preciso fechar acordos com parceiros de pagamento, como gateways ou adquirentes, para permitir a aceitação de cartões, Pix e QR Code? Esse também pode ser um fator importante na determinação do tempo de implementação.
  • O quanto será preciso customizar o site? Quando o e-commerce utiliza plataformas padronizadas, o tempo de implementação é menor, embora haja menos liberdade para incluir recursos exclusivos ou processos de negócios mais específicos. Quanto mais customização no desenvolvimento, maior o tempo de implementação. 

Lembre-se que a construção de um e-commerce precisa sempre levar em conta a facilidade de uso do sistema, para que o consumidor tenha a melhor experiência possível e se sinta confortável em navegar e comprar em seu site.   

Ter um e-commerce

A importância do planejamento 

Um erro sério (e infelizmente ainda comum) que muitas empresas cometem é não realizar um bom planejamento do projeto de e-commerce. Essa é uma etapa que não pode ser ignorada, nem feita de forma descuidada: é no planejamento que o empreendedor pode identificar o que ele precisa para garantir que a loja virtual o atenda, quais recursos ele precisa e o que ele poderá vir a necessitar no futuro. 

Fazer um bom planejamento do e-commerce traz diversos benefícios: 

  • Financeiro: o projeto é desenvolvido de acordo com o que o negócio precisa, sem features desnecessárias, mas também sem faltar nada. Com isso, o investimento necessário é calculado corretamente e não ocorrem surpresas desagradáveis (e mais caras) posteriormente; 
  • Estratégico: o planejamento do e-commerce é um momento importante para definir os rumos da venda pela internet pelos próximos anos. O trabalho e o investimento necessário para colocar no ar um e-commerce faz com que, naturalmente, o empreendedor dedique tempo para pensar no que será de seu negócio nos próximos meses e anos. Quanto melhor for esse planejamento, melhor será a escolha da plataforma. 
  •  Modelo de operação: será possível construir uma operação simples de e-commerce, um marketplace ou uma operação full omnichannel integrada às lojas físicas. Cada modelo tem uma complexidade diferente, demandando diferentes prazos, níveis de esforço e investimento. É necessário levar em conta o quanto é possível investir no momento. 
  • Entendimento do mercado: um bom planejamento envolve identificar o que os concorrentes estão fazendo e futuras oportunidades de melhoria. Com isso, toda a equipe ganha mais conhecimento sobre as tecnologias usadas e sobre as atividades da concorrência. 
  • Integrações tecnológicas: esse é um aspecto extremamente importante no planejamento do negócio. Será necessário fazer adaptações e integrações no backoffice (ERP), e isso demanda tempo e esforço. Plataformas mais modernas, que usam recursos de integração por API, podem reduzir drasticamente o tempo de integração.   

Não comece pela resposta 

Um erro comum em projetos de e-commerce é escolher uma solução tecnológica e então tentar adaptá-la ao negócio. Antes de se preocupar com a tecnologia que será usada na loja online ou como serão os processos de negócios depois que o e-commerce estiver funcionando, é preciso avaliar se faz sentido, para o seu negócio, ter uma presença online (e de que forma). 

Parece uma pergunta básica – e é. Mas fazer essa pergunta pode impedir que um lojista invista mais do que pode ou precisa. Em alguns casos, o empreendedor pode não precisar de um e-commerce, e sim de uma solução de link de pagamento, por exemplo. 

Dedicar tempo ao planejamento é muito importante para definir exatamente o que será necessário para o negócio – e quanto melhor o planejamento, mais rápida e sem sobressaltos será a implementação do e-commerce.   

O que avaliar ao escolher um e-commerce 

No e-commerce, não existe uma solução que é a melhor para todo mundo. O que existe é a melhor solução para o seu caso, de acordo com suas necessidades, estratégia de negócios, tipo de produto, concorrência e volume de vendas esperado. 

De modo geral, a escolha de uma plataforma de e-commerce recai em um destes três tipos:   

Plataformas de e-commerce gratuitas 

São sistemas padronizados, com poucas possibilidades de personalização, e que podem ser usados sem custo de implementação. Normalmente, essa é uma opção para quem não tem experiência em e-commerce e não espera vender muito pela plataforma. 

Embora exista a óbvia vantagem do baixo custo, sistemas desse tipo costumam ter uma performance inferior à de opções pagas, o que influencia diretamente na conversão e no sucesso do negócio. Além disso, no caso de uma eventual falha no sistema, a falta de suporte técnico pode ser um problema sério.   

Plataformas de código aberto 

As plataformas de código aberto são vistas como sistemas universais, que são eficientes para atender a maioria das necessidades de negócios. Elas são desenvolvidas por uma rede de profissionais, permitindo atualizações e correções por qualquer pessoa. Também costumam ser gratuitas, mas com um suporte mais próximo trazido pela comunidade de desenvolvedores envolvida na melhoria contínua do sistema. 

Nesse caso, as desvantagens estão na necessidade de contratação de pessoal especializado na manutenção ou alteração do código. Plataformas abertas são projetos pré-formatados: quem quiser algo diferente precisará ser especialista ou contratar alguém com experiência para cuidar do projeto. 

Plataformas de e-commerce pagas 

Como o nome diz, esses são os casos de plataformas de e-commerce em que o lojista paga um valor fixo ou um percentual das vendas em troca de desenvolvimento, implementação, suporte, segurança e atualização. Plataformas desse tipo podem funcionar no modelo Software as a Service (SaaS), em que existe o pagamento de uma mensalidade para uso da loja; ou no modelo personalizado, criado especificamente para atender às características específicas do seu negócio. 

Plataformas SaaS têm um investimento menor que uma plataforma personalizada, porém é preciso estar atento ao modelo de cobrança (por transações ou por visualizações) para que os custos de uso estejam dentro do previsto. Já nas plataformas personalizadas, o investimento inicial e de atualização pode ser maior, pois todo o sistema é ajustado de acordo com as necessidades específicas do seu projeto. 

O tipo de modelo adotado também influencia no tempo de implementação do e-commerce. Por outro lado, plataformas mais robustas têm recursos mais avançados e podem ajudar você a obter melhores resultados. 

Um bom exemplo é o Linx Commerce, a plataforma de e-commerce da Linx. Com ela, é possível trabalhar integrações nativas que demandam muito menos esforço (e tempo) de implementação. Além disso, é possível personalizar a vitrine da loja virtual de acordo com a preferência de cada visitante, utilizar a busca inteligente e desenvolver ações para engajar ou recuperar clientes a partir de e-mails automáticos, mensagens push 100% customizáveis e recomendações personalizadas. A construção de todo um ecossistema tecnológico, com integrações nativas entre as soluções, reduz a complexidade e o tempo de implementação, além de facilitar o crescimento futuro do e-commerce. 

Atuando em diversas áreas do varejo e com clientes dos mais variados tamanhos, a Linx é especialista na criação de lojas virtuais de alta performance, integrada aos maiores marketplaces e com os melhores recursos de personalização. Sabemos que implementar um novo e-commerce é uma tarefa sensível para o negócio. Por isso, apresentamos máxima eficiência com o menor impacto possível durante a implementação ou migração do seu e-commerce. 

Conte com a gente para expandir suas vendas! 

Ficou com
alguma dúvida?

Podemos te ajudar com os desafios do seu negócio e encontrar a solução ideal

Entre em contato

fale com a gente!