Compartilhe

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Twitter Compartilhar no Whatsapp

Operações contactless: o que você pode fazer para minimizar riscos no seu restaurante?

Operações contactless: o que você pode fazer para minimizar riscos no seu restaurante?

É sabido que o contato humano é o principal motivo pelo qual o coronavírus é transmitido e isso apresenta um desafio enorme para bares e restaurantes, que têm operações com diversos pontos de contato, desde o pedido até o pagamento.

A alimentação fora do lar naturalmente envolve interação humana, afinal, esse é um dos principais motivos para as pessoas escolherem sair ao invés de cozinhar em casa. Elas querem relacionar-se com outras pessoas.

Em uma pesquisa, realizada no final de março pela Rakuten Ready, salta aos olhos um dado extremamente relevante: 86% dos entrevistados disseram que a higiene em restaurantes é superimportante. Outros 12% disseram achar importante.

Isso, com certeza, já é reflexo de um mundo que enfrenta uma pandemia, mas é também uma tendência pós-pandêmica e que deve perdurar.

Dado este cenário desafiador, o que pode ser feito no seu estabelecimento para que tanto funcionários como consumidores tenham o risco de contágio minimizado?

O primeiro ponto é que você deve pensar nos 3 estágios que envolvem uma compra em um restaurante: pedir, preparar e entregar. Cada uma dessas etapas apresenta riscos que precisam ser minimizados.

É preciso analisar com cuidado toda e qualquer interação que possa acontecer entre funcionário-funcionário, consumidor-funcionário e consumidor-consumidor. Mapeando esses momentos, você terá mais clareza do que pode ser feito.

Neste artigo vamos trazer algumas estratégias que podem te auxiliar a propiciar um ambiente seguro para sua equipe e seus clientes, sem deixar de oferecer um serviço de qualidade.

Cuidados com o time

Uma de suas prioridades deve ser proteger sua equipe. Tudo começa com eles. O que muitas empresas têm feito é oferecer equipamentos de cuidado com a higiene, como: luvas descartáveis, máscaras de proteção, aventais descartáveis ou até mesmo face shields, máscaras que contém uma tela frontal transparente anti-saliva e respingos.

Houve quem foi mais além, oferecendo serviços particulares de deslocamento de ida e volta para o trabalho a fim de retirar os colaboradores de locais de aglomerações, como o transporte público.

Outra prática muito adotada por todo mercado foi dispensar qualquer colaborador que apresente o mínimo sintoma da doença, ou que pertença a algum grupo de risco, sem a necessidade de entregar atestado médico. Aqui a confiança é chave.

Todas essas estratégias adotadas ajudam a minimizar o risco de contágio, mantendo seus colaboradores e consumidores seguros para trabalhar e consumir com paz e tranquilidade.

Contactless Delivery ou Delivery sem contato

A operação delivery, por si só, já é desafiadora. Construir uma estratégia de entregas em domicílio que seja saudável ao negócio, gere lucros e fidelize clientes, são exigências para consolidar-se no mundo digital.

Para te ajudar a ter uma operação de delivery efetiva e encantadora, preparamos uma cartilha com 8 passos para implementar uma operação de delivery na era digital.

No momento atual, ingressar e prosperar no delivery apresenta um desafio ainda maior, pois a atenção ao “last mile” (em tradução livre “última milha”, que é a chegada do pedido ao consumidor final) deve ser redobrada.

Você precisa colocar em prática formas de minimizar riscos nessa etapa do processo, a fim de conquistar a confiança de quem quer consumir seus produtos.

Na mesma pesquisa de março já citada acima, a Rakuten Ready coletou o seguinte dado: 66% dos entrevistados afirmaram que se tiverem acesso às informações de quais cuidados com a higiene têm sido tomados e de como os pedidos são preparados, as chances de consumir produtos de um restaurante aumentam consideravelmente.

Por isso, comunique através de suas mídias sociais todos os cuidados adotados pelo seu negócio e, até mesmo, as medidas futuras que você pretende implementar para cuidar da saúde das pessoas.

A própria embalagem dos pedidos também pode ser usada de forma bastante criativa para atender a essa nova necessidade de transparência exigida pelo mercado. Use-a como canal de comunicação.

Falando em embalagem, é de supra importância que você as higienize antes do pedido sair para a entrega, pois isso minimiza os riscos de transmissão viral.

Para o ato da entrega, surgem algumas opções, como deixar o pedido na porta do endereço ou entregar em um local previamente acordado. Essas práticas foram providenciadas rapidamente e já estão sendo usadas desde o início do isolamento social, onde foi disponibilizada a opção aos usuários pelos aplicativos. Por isso, estas formas de entrega já se disseminaram ao redor do mundo e têm sido bem aceitas.

Com esta nova dinâmica operacional, onde é estabelecido previamente o local e horário de retirada ou entrega do pedido, o timing de preparo se torna mais complexo.

Você precisa saber com exatidão o tempo de preparo para cada prato, assim sua equipe pode começar a preparar o pedido próximo ao momento da entrega para que tudo chegue fresco ao consumidor e sem atrasos. É um novo modelo operacional que exige total controle da sua cozinha.

O Delivery apresenta obstáculos a serem transpostos, mas oferece muitas oportunidades que compensam aventurar-se nesse mercado em plena ascensão.

Cashless payments ou pagamentos digitais

Os pagamentos digitais já haviam se consolidado em alguns mercados, principalmente na China, e apresentava crescimento gradativo no Brasil antes da pandemia do novo coronavírus.

Isso decorria do claro valor agregado apresentado por esse tipo de solução: mais agilidade e segurança. Além disso, as formas de pagamento digitais apresentam ticket médio 20% superior às transações físicas.

Com o novo momento pelo qual estamos passando, as empresas têm que se adaptar rapidamente, em uma velocidade que muitos negócios não estão acostumados a se transformar.

Hoje, ir para o caminho dos pagamentos digitais é mais do que apenas uma vantagem competitiva ou um conforto maior ao consumidor, é uma necessidade.

Na Grã-Bretanha temos a evidência disso ao ver o governo aumentar o limite que pode ser gasto em cada transação digital de 30 para 45 libras. Essa é uma tendência que foi adotada por outros governos europeus, os quais perceberam o valor desse tipo de transação num mundo em que buscamos cada vez mais operações sem contato físico.

Vamos citar aqui algumas possibilidades de como você pode minimizar os riscos no momento do pagamento.

Links de pagamento são uma saída muito interessante para restaurantes que estão se aventurando no delivery.

Nesta forma de pagamento, o consumidor realiza o pedido online, você o recebe e gera um link em uma plataforma. Este link é encaminhado para o cliente por Whatsapp, e-mail ou qualquer outro canal de sua preferência, ele o acessa, preenche alguns dados básicos e finaliza a transação. É fácil, ágil e seguro para você e seu cliente.

Existe também a forma mais tradicional de pagamento online, que é o registro de cartão de crédito em plataformas digitais, prática muito comum em todo o varejo e disseminada no mercado de alimentação com o crescimento dos marketplaces (apps de pedido).

Essa estratégia segue relevante e atende bem aos consumidores que não têm receio de registrar informações pessoais na internet.

Outra forma de pagamento cashless que se mostra importante nesse momento de reabertura gradual do comércio são os pagamentos via QR Codes, modalidade de pagamento que vinha ganhando corpo no Brasil, principalmente na capital paulista, e funciona da seguinte forma: o pedido é realizado, o valor é registrado no PDV e, no momento da transação, o cliente acessa no seu celular o aplicativo da carteira digital de sua preferência e o utiliza para ler um QR Code num display em frente ao caixa. O valor cobrado aparece no app e o cliente finaliza a compra com um clique.

Esta é uma forma de pagamento que crescerá muito em pouco tempo e seu negócio deve estar antenado a isso.

Deixe seu cliente pagar da forma que preferir e faça-o sentir-se seguro, assim suas chances de ter sucesso irão crescer.

Atendimento contactless ou self-ordering

A reabertura gradual dos negócios apresenta algumas oportunidades interessantes de como se relacionar bem com seus clientes, ao mesmo tempo em que se reduz os pontos de contato. A tecnologia se mostra importante neste aspecto ao oferecer experiências incríveis com o devido cuidado à saúde.

Se seu restaurante oferece cardápios físicos ao consumidor, você pode recorrer ao digital para minimizar riscos. Afinal, apenas 16% dos consumidores têm confiança no cardápio físico tradicional no momento, segundo estudo da GS&Libbra.

As soluções digitais, onde o consumidor escaneia um QR Code em cima da mesa para abrir o menu do restaurante em seu celular, contribuem para a segurança de todos sem prejudicar a experiência de compra.

Outra opção de menu digital são tablets em cima de cada mesa, que reduzem a interação entre pessoas sem afetar a eficiência de sua operação. Além disso, aumenta seu ticket médio em torno de 20%.

Adotar tecnologias para um atendimento mais seguro e eficiente se torna mais prudente neste momento e irá reduzir o receio de seus clientes de ir ao seu restaurante e ter que compartilhar itens que passaram pela mão de muitas pessoas.

Dica extra para operações de fast food

Se seu restaurante aceita bem a operação drive-thru, invista nela, pois esse modelo operacional se torna mais relevante no novo normal. Porém, esteja atento à experiência que você oferece porque os consumidores querem segurança, mas não querem deixar de se encantar.

Seja rápido no atendimento, exponha com clareza seu cardápio e ofereça formas de pagamento que reduzem riscos.

 

Quer saber como a Linx pode ajudar o seu negócio? Clique aqui.

Vendas
page pixel