Compartilhe

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Twitter Compartilhar no Whatsapp

O que considerar antes de transformar seu ecommerce em um marketplace

O que considerar antes de transformar seu ecommerce em um marketplace

Não são apenas as grandes lojas virtuais que podem ganhar com o modelo de shopping online

De aposta arriscada há alguns anos, o comércio eletrônico é, hoje, canal obrigatório para quem quer se estabelecer no mercado varejista brasileiro. Segundo o relatório Webshopper da Ebit Nielsen, em 2018, por exemplo, foram R$ 53,2 bilhões em faturamento, 18% a mais do que no ano anterior, resultado que coloca o Brasil como campeão de vendas online da América Latina.

E, nesse cenário de fortalecimento das lojas online, o modelo de marketplace vem tomando cada vez mais espaço. Grandes varejistas digitais transformam seus canais em plataformas de venda para outros players, que se beneficiam do melhor posicionamento online e da preferência dos consumidores pelas marcas consolidadas. 

Para pequenos e médios, as vantagens de vender nesses novos shoppings online são muitas, e tais canais podem representar até 80% do faturamento. Mas é importante não deixar de operar sua própria loja, descaracterizar sua presença online ou sua marca junto aos clientes. 

Esse cuidado é importante porque, com a transformação digital que colocou o consumidor no foco das decisões e no centro da jornada de compra,  descuidar desses itens pode ser um tiro no pé. O cliente 4.0 quer um contato mais direto com a marca, um atendimento personalizado e experiências únicas. Exigências que não podem ser atendidas apenas/diretamente pelo modelo de venda nas grandes plataformas de venda.

Mas como crescer e atender a todas essas demandas ao mesmo tempo? A resposta pode estar no próprio modelo de marketplace: é possível usar as plataformas de terceiros, mas fazer de seu próprio ecommerce um pequeno shopping online. Veja, abaixo, como e por que fazer isso:

Não precisa ser uma Amazon para ser um marketplace

O padrão de marketplace prevê que uma loja online abra seu canal para varejistas parceiros, oferecendo um mix maior de produtos, fidelizando seus clientes e valorizando ainda mais sua marca. Para o consumidor, a comodidade é encontrar tudo em um só lugar, com o aval de uma marca conhecida. 

Hoje, quando pensamos nesse modelo, temos como referência as potências do segmento como Amazon, Magazine Luiza ou B2W. São grandes marcas, com negócios maduros, já consolidados. Pode parecer distante da sua realidade, mas a ideia aqui não é concorrer com elas, e sim usar esse modelo de negócio para transformar seu ecommerce.

Para pequenos e médios, usar essas definições pode ser a forma de oferecer para o cliente um mix maior de produtos sem necessidade de investimento pesado em estoque, logística e até mesmo publicidade. Um ecommerce de sapatos, por exemplo, pode disponibilizar produtos complementares – como bolsas e meias. Ele vai atender melhor o consumidor ao mesmo tempo em que aumenta seu ticket médio e o tráfego para o site. 

Outra vantagem é a geração de receita extra por meio do percentual sobre cada item de terceiros comercializado. Por fim, você ganha aumentando a relevância da sua marca, com a personalização e proximidade com o público e com mais vendas finalizadas.

Aposte na estratégia do oceano azul

Oceano azul é um conceito de negócios apresentado em um livro homônimo, que ensina que, para superar a concorrência, é preciso parar de tentar superá-la. Ou seja, buscar mercados ainda não explorados é a melhor opção.

Que tal usar a estratégia do oceano azul e focar em um nicho direcionado a um público específico e performar naquele universo? Assim, você cria uma oportunidade de pulverizar o mercado e gerar canais mais customizados para o seu consumidor.

Um pequeno marketplace que segue esse modelo é a Glambox, um clube de compras por assinatura para o público feminino. Ela envia para as assinantes produtos de beleza de parceiros e cupons de descontos para serem usados no site. Focando em um segmento específico e com um público-alvo bem desenhado, a empresa otimiza recursos de marketing e pode usar a segmentação para atender cada contato de forma mais próxima. 

Sem crescer demais e com bons parceiros, é possível atender seu público-alvo de forma próxima e personalizada.

O que você precisa para transformar-se em um marketplace

Além de escolher bons parceiros, para que um novo marketplace funcione corretamente e consiga atender os clientes com eficiência, é preciso contar com alguns recursos técnicos na plataforma de ecommerce. Entre eles, podemos destacar:

 

  • Plataforma escalável

 

Para transformar uma loja online em marketplace, é necessário que a plataforma de ecommerce tenha condições de suportar o aumento da demanda e o crescimento de variedade de produtos que irão para o catálogo do site a partir de novas parcerias. Por isso, é essencial que a plataforma seja escalável, ou seja, que tenha tecnologia e capacidade para crescer com o negócio e se adaptar a novas demandas. 

 

  • Soluções de pagamento integradas

 

Oferecer aos clientes diversos meios de pagamento é essencial para qualquer ecommerce. Mas, quando falamos de marketplace, é preciso contar com soluções de pagamento integradas que permitam, de forma automática, o recebimento da porcentagem da venda de produtos de terceiros para seu site ou mesmo a divisão de pagamento entre diversos sellers (vendedores).

É preciso contar com uma gestão de pagamentos eficiente e um software que administre meios de pagamentos, split de pagamento, taxa de comissionamento e pedidos no site de forma totalmente ágil.

 

  • Ser omnichannel

 

Seu marketplace deve funcionar de acordo com as necessidades estratégicas da sua marca para, assim, alavancar suas vendas e atrair mais parceiros e, principalmente, consumidores. 

Na era da conectividade, não existe espaço para  empresas que não se comunicam de maneira contínua e transparente com seus públicos e, no marketplace, isto não é diferente. Para ter sucesso, sua plataforma deve estar apta para ser multi-site, marketplace ao mesmo tempo e administrar B2B, B2C, Hub de Marketplaces, mídias sociais e telefone de forma integrada, com agilidade e rapidez.

 

  • Gestão eficiente dos sellers

 

Para otimizar o tempo e facilitar a administração de um shopping online, é essencial  contar com uma plataforma de ecommerce com gerenciamento de sellers. Essa solução permite um maior controle das atividades dos parceiros. 

Com ela, é possível, com total segurança, gerenciar todas as informações sobre as requisições de cada parceiro. Isso facilita as transações, pois permite visualizar o que está disponível em estoques remotos, quais itens têm mais saída e como os clientes estão respondendo aos produtos e estratégias de cada marca. 

A plataforma de ecommerce da Linx Digital tem todas as funcionalidades para transformar sua loja virtual em um bem estruturado marketplace. Nossa solução permite, por exemplo, fazer curadoria por meio de machine learning do inventário recebido, formatando a descrição do produto, customizando o marketplace de forma automática. 

Contato comercial
Envie uma mensagem ou Chat online

Telefone Comercial:

3003-0400

Atendimento de segunda a sexta, das 9h às 18h.