NFT e varejo: uma combinação vencedora
Varejo

NFT e varejo: uma combinação vencedora

Entenda como o NFT, produto digital com garantia de origem, cria exclusividade, gera faturamento extra e cria mais oportunidades de engajamento dos consumidores

Os NFTs ganharam espaço em 2021 como uma das tendências mais fortes no mundo digital. A ideia de produtos digitais com garantia de origem, que podem ser comercializados como itens únicos, cria oportunidades de relacionamento das marcas com os clientes e abre caminhos para a monetização de ativos. Por isso, a evolução do varejo nos próximos anos passará pelos NFTs.

Até agora, vivemos em um mundo que transaciona itens físicos em vários canais – que podem ser digitais ou físicos. O próximo passo dessa jornada é começar a vender itens digitais – tanto em canais digitais quanto físicos. Se os clientes querem se relacionar com marcas, independente do canal, os NFTs abrem mais oportunidades de relacionamento com os consumidores.

NFT e varejo

É hora, então, de explicar o que são NFTs e por que eles precisam fazer parte da sua estratégias de relacionamento com os clientes.

O que é NFT?

NFTs, ou tokens não-fungíveis, são arquivos digitais que utilizam soluções de blockchain para garantir sua procedência e autenticidade. Assim, os NFTs são vídeos, memes, gifs, imagens ou documentos digitais que têm um “registro digital” e podem ser considerados legítimos. Dessa forma, alguém pode ser o único dono de uma obra de arte digital, de um ingresso para um evento ou de um benefício cedido por uma empresa.

Não se trata de um conceito ainda sem aplicação prática. Bem pelo contrário: o Morgan Stanley estima que esse mercado já movimenta US$ 63 bilhões, número que saltará para US$ 300 bilhões em 2030. E onde estão esses US$ 63 bilhões? Em grande parte, na arte: o mercado de arte digital (venda de obras certificadas via NFT) já responde por 33% do mercado físico de obras de arte (esculturas, pinturas etc).

Outro segmento importante é o de games: a venda de itens virtuais dentro das plataformas de jogos movimentou US$ 61 bilhões em 2021 e deve chegar a US$ 74 bilhões em 2025. Nem todo esse valor passa por NFTs, mas mostra que o conceito de comprar skins, roupas ou objetos para personagens é natural para uma boa parte da população – especialmente os mais jovens.

NFT e varejo: onde estão as oportunidades?

Para muitas marcas, a hora de experimentar NFT chegou. Nike, adidas, Estée Lauder, Toys “R” Us, Gucci, Dolce & Gabbana e Ralph Lauren são apenas algumas das empresas que já desenvolvem projetos de tokens não-fungíveis para entender esse mercado e capturar vendas.

Existem várias estratégias possíveis – e muitas outras surgirão com o tempo. Vale a pena ter em mente estas 5 possibilidades:

1)  Alcançar novos públicos

Comprar itens virtuais é algo que faz mais sentido para as gerações mais novas (Geração Z e Alpha), que já nasceram digitalizadas e não enxergam muita diferença entre comprar uma roupa para si ou para seu avatar em um game. Por isso, quando uma marca de luxo como a Gucci desenvolve uma coleção de NFTs de esculturas digitais, ela está buscando uma ligação com futuros consumidores.

2) NFT e a recompensa por clientes fiéis

Se o mundo é cada vez mais um híbrido entre físico, digital e virtual, faz sentido pensar que é possível recompensar os clientes que compram produtos físicos com benefícios disponíveis via NFT. É o que fez a Clinique, marca de cosméticos da Estée Lauder, em seu projeto Meta Optimist.

O projeto ofereceu um NFT para membros do programa de fidelidade da marca e a chance de concorrer a um benefício adicional: produtos gratuitos por 10 anos. Para participar, os consumidores precisavam publicar um vídeo nas redes sociais com histórias otimistas. Como teste, a Clinique criou um projeto paralelo, focado nos colaboradores da marca, usando NFTs para arrecadar dinheiro para uma causa social. Mesmo sem explicar para que seriam os NFTs, todos foram vendidos, o que deixou a marca otimista quanto às possibilidades de uso no mundo digital.

3) Aumentar a cocriação de produtos

O espaço digital é uma grande oportunidade para criar produtos que poderão ter vida própria no mundo físico. A roupa ou o calçado de um personagem de um game podem ter tanto sucesso que passam para o ambiente “real”. É a aposta da Prada e da Adidas, que lançaram um projeto na rede Polygon.

As empresas vão leiloar uma coleção de NFTs desenhadas pelo artista digital Zach Lieberman, com os lucros doados para uma instituição de caridade. Os clientes podem criar seus próprios designs, baseados em um filtro projetado por Lieberman, e 3.000 ideias virarão NFTs. Com isso, Prada e Adidas criam caminhos diferentes para observar os clientes, receber insights e preparar novas coleções.

4) Escassez para criar desejo

NFTs representam uma forma de desenvolver novas linhas de produtos 100% digitais, com garantia de origem e a possibilidade de revenda em plataformas digitais. “O NFT muda o jogo digital da abundância para a escassez”, comentou o consultor Mitch Joel durante a NRF Big Show 2022. Assim, essa é uma forma de gerar escassez para produtos digitais, aumentando o desejo dos consumidores pela marca. Esse é um fenômeno comum no mundo físico, em que marcas de sneakers criam coleções limitadas que são altamente disputadas pelos clientes e, não raramente, são vendidas em marketplaces por múltiplos do valor original. Especialmente para marcas de moda, que dependem de ser desejadas, os NFTs representam uma oportunidade interessante de criar novos vínculos com o público.

5) Novas oportunidades de negócios

Do ponto de vista do varejo, os NFTs podem representar uma nova linha de produtos, estendendo a marca para o digital e entrando em diferentes categorias. Um varejo omnichannel pode se aproveitar muito bem disso, pois não existem barreiras entre físico e digital.

É por isso que a tradicional rede de lojas de departamentos Selfridges começou a vender NFTs em sua loja física em Londres. Estão disponíveis mais de 1.800 itens, que podem ser comprados com cartão de crédito e são disponibilizados nas carteiras digitais dos clientes. Em Los Angeles, a rede Fred Segal criou a Artcade, uma galeria que mostra NFTs em displays digitais. Os clientes podem usar criptomoedas para comprar esses itens e também skins para jogos.

Por que o omnichannel é uma excelente estratégia para o e-commerce

Os NFTs são uma novidade que começa a ser explorada por varejistas do mundo inteiro. Para empresas omnichannel e focadas em seus clientes, essa pode ser uma grande oportunidade de aumentar o relacionamento, ampliar a frequência de compras, gerar novas linhas de produtos, estar mais antenado às tendências e criar um braço de negócios virtuais. Vale a pena ficar atento!

Ficou com
alguma dúvida?

Podemos te ajudar com os desafios do seu negócio e encontrar a solução ideal

Entre em contato

Nosso website faz uso de cookies. Para mais informações, acesse nossa Política de Cookies.

Vendas pelo Whatsapp

Suporte
ao cliente