LGPD para farmácias: por que a sua farmácia deve agilizar processo de adequação
Farmácias e drogarias

LGPD para farmácias: por que a sua farmácia deve agilizar processo de adequação

Acontecimentos recentes reacendem debate sobre avanços da regulamentação da LGPD para farmácias e sua aplicabilidade no varejo farmacêutico.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) completou 5 anos neste mês de agosto. A norma, criada para regulamentar o tratamento de dados pessoais no Brasil, é um tema que, neste ano, reacendeu debate sobre os seus avanços na regulamentação e fiscalização, além da sua aplicabilidade no varejo farmacêutico. Muitas farmácias ainda estão com dificuldade de se adequar à LGPD e é preciso estar atento para não correr o risco de sofrer sanções em caso de descumprimento da Lei. 

Criada em 14 de agosto de 2018, a LGPD só entrou em vigor em setembro de 2020. Desde então, alguns acontecimentos recentes trouxeram a necessidade de mais atenção e cuidado para se manter em conformidade com a lei. O caso mais recente foi em julho deste ano, quando a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) aplicou a primeira multa por descumprimento à LGPD, deixando um marco significativo na seriedade da regulamentação.  

Em maio deste ano, outro acontecimento trouxe um alerta para o setor farmacêutico. Isso foi após a ANPD divulgar uma nota técnica com uma série de constatações sobre o uso de dados pessoais em farmácias, como o pedido do CPF no caixa, para oferecer descontos em medicamentos. O documentou gerou repercussão e reacendeu o debate sobre o tratamento de dados nas farmácias. 

lgpd para farmácias

Conhecimento é o primeiro passo 

Embora tenha completado 5 anos, a LGPD é um tema relativamente novo, que ainda carece de informações mais claras e objetivas sobre a sua aplicabilidade no varejo farmacêutico, que por si só é um setor complexo. Com isso, é fundamental se atualizar nos portais oficiais dos órgãos reguladores, contar com apoio de orientações jurídicas e estar sempre buscando conhecimento para se adequar de forma efetiva à LGPD. 

Transparência no tratamento dos dados 

Em meio ao avanço da regulamentação e fiscalização da LGPD, os donos de farmácias precisam encontrar alternativas para minimizar os impactos negativos da medida e, ao mesmo tempo, continuar oferecendo um bom atendimento aos clientes. E a dica maior é: exercer a transparência no tratamento dos dados. 

As farmácias possuem uma prática comum de solicitar dados, como o CPF, por exemplo, no momento de uma compra do cliente, seja para oferecer descontos ou outros benefícios a ele. O problema não é captar esses dados, mas, sim, não informar o que será feito com esse dado e utilizá-lo sem autorização do consumidor. Por isso, os atendentes e farmacêuticos precisam estar treinados para orientar o consumidor e reestabelecer uma relação de confiança com ele. 

Tecnologia: uma parceria de sucesso 

Outro pilar importante para a sua farmácia garantir uma boa base de proteção de dados é contar com um software robusto. A LGPD é uma realidade e a presença dela vai impactar o mercado cada vez mais com o passar dos anos. Não é à toa que empresas de tecnologia estão na corrida pelo desenvolvimento de sistemas que facilitem a implementação da LGPD. 

Nesse sentido, a Linx tem se destacado, pois sempre procurou oferecer aos seus clientes soluções completas e totalmente integradas ao sistema, como é o caso do LGPData. Essa ferramenta permite que as farmácias gerenciem os dados dos clientes em conformidade com a LGPD. Com ela, é possível emitir termos de consentimento para os clientes e consultar os status dos termos durante os processos de vendas.

Se isso despertou o seu interesse e você quer aproveitar para conhecer o nosso portfólio completo de soluções, fale com a gente!

Ficou com
alguma dúvida?

Podemos te ajudar com os desafios do seu negócio e encontrar a solução ideal

Entre em contato

fale com a gente!