Fluxo de caixa e a sua importância para as lojas de calçados
Calçados

Fluxo de caixa e a sua importância para as lojas de calçados

Por Adriano Lopes, Gerente Comercial na Linx.

Em uma loja de calçados há duas principais operações que são realizadas: operação de compras e de  vendas e, fazer o equilíbrio financeiro entre o pagamento dos fornecedores e os recebimentos dos clientes é uma tarefa essencial da gestão empresarial de qualquer negócio, mas você sabia que o  uso de ferramentas e softwares especializados no segmento pode favorecer e muito todo este processo?

Neste artigo você vai entender a importância da gestão do fluxo de caixa para a saúde da empresa, além de identificar fatores de riscos que podem prejudicar a sua rentabilidade. Boa leitura!

Fluxo de Caixa

Eu sempre brinco que as empresas quebram não por não darem lucro, mas principalmente pela falta de previsibilidade da geração de caixa.

Fazer a gestão financeira de uma loja é um dos principais pilares para o sucesso do negócio, pois não há gestão assertiva sem um bom controle do fluxo de caixa da empresa. É por esta atividade, que parece relativamente simples, que é possível  projetar todas as entradas e saídas, além de verificar se há saldo disponível para honrar com os compromissos financeiros que a operação exige , como por exemplo: o pagamento de fornecedores, acerto de salários e, claro, as despesas fixas e variáveis.

Uma ferramenta de fluxo de caixa deve registrar as seguintes operações financeiras:

Recebíveis

Venda à vista, parcelada no crediário ou recebimento no cartão de crédito,  débito e cheque.

Total de pagamentos

Débitos com fornecedores, impostos, funcionários, despesas operacionais (água, luz e telefone), aluguéis, pró-labore, materiais de expediente, marketing etc.

Além das demais previsões de recebimentos e pagamentos para o futuro, principalmente do que pode surgir nos próximos meses.

Quais os benefícios do uso da ferramenta de fluxo de caixa?

Uma das principais vantagens do uso desse tipo de ferramenta é poder prever qualquer tipo de demanda para uma tomada de decisão mais assertiva e ágil, que pode ser: o momento certo de buscar financiamentos e empréstimos ou fazer novos investimentos, bem como, planejar melhor as negociações com fornecedores e organizar as sugestões de promoções dentro da loja. O objetivo é amenizar qualquer possibilidade de desfalque financeiro que gere dificuldade para a loja se manter.

Abaixo separamos algumas dicas interessantes para o lojista melhorar a sua gestão de capital de giro.

Confira:

  1. Dilatar o prazo de pagamento de fornecedores, já que eles representam mais de 50% da saída do fluxo de caixa. Então, quanto maior for o prazo mais rentável será para empresa;
  2. Saber em quais datas no mês que o fluxo de recebimentos é maior e, agendar os pagamentos após estas datas;
  3. Ter uma gestão eficiente do estoque da loja, uma vez que, estoque sem girar é um ralo de dinheiro para a empresa;
  4. Cuidar do prazo de parcelamento que é ofertado para os clientes, para que a loja não fique financiando esses valores;
  5. Aproveitar e sempre fazer uma análise das despesas e custos da empresa. A todo o momento é hora de analisar e identificar as oportunidades de melhorias.
  6. Negociar as melhores taxas com os bancos, tanto para aplicação financeira como para captação de recursos. Isto só é possível tento uma previsibilidade das entradas e saídas do fluxo de caixa.

Ciclo financeiro

Ciclo financeiro é um KPI que mede o tempo entre o recebimento das vendas, giro dos estoques e pagamentos dos fornecedores. De forma simples e prática é quantos dias a loja leva para financiar suas operações.

Aprenda a  calcular o ciclo financeiro:

Ciclo Financeiro = Prazo Médio Recebimento (PMR) + Prazo Médio Estocagem (PME) – Prazo Médio Pagamento (PMP)

– Prazo Médio Recebimento representa quantos dias, em média, a empresa esperou para receber dos seus clientes.

PMR = (Clientes x 360) / Vendas realizadas

– Prazo Médio Estocagem representa quantos dias, em média, a empresa levou para vender os seus estoques de calçados.

PME = (Estoque x 360) / Custo das vendas

Prazo Médio Pagamento indica quantos dias, em média, a empresa levou para pagar os seus fornecedores.

PMP = (Fornecedores x 360) / Compras

Lembrando que estes dados podem ser encontrados no Balanço Patrimonial das lojas, uma vez que representam ativos e passivos operacionais.

Confira um exemplo de cálculo do ciclo financeiro:

  • Prazo médio dos estoques: 40 dias;
  • Prazo médio de recebimento: 35 dias;
  • Prazo médio de pagamento: 20 dias.

Aqui o ciclo financeiro da loja é de 55 dias, ou seja, quantos dias a loja leva para saldar o que deve com seus fornecedores.Banner CTA_E-book_Gestao-estoque-calcados

Necessidade de capital de giro

O cálculo da Necessidade do Capital de Giro através do ciclo financeiro pode ser dado pela fórmula:

NCG = Prazo Médio de Recebimento – Prazo Médio de Pagamento

Esse indicador mede o valor mínimo que a empresa deve ter em caixa e representa o valor necessário para manter a operação saudável.

Obter um resultado negativo para esta fórmula significa que a empresa precisa buscar capital de fora para o negócio (empréstimos e financiamentos). Porém, se o resultado for positivo, significa que a empresa não precisa de capital de giro de terceiros.

Conclusão

O lojista entender qual o seu fluxo de caixa e quais fatores dentro da operação contribui para aumentar ou diminuir a necessidade de capital de giro é um dos pilares da gestão financeira de uma loja de calcados. Apostar em um sistema especialista que mostre esse processo realizado e projetado faz toda diferença na tomada de decisão e, com certeza, gera menos estresse para a área.

Assine a newsletter do blog da Linx e fique por dentro das novidades para o seu negócio!

Ficou com
alguma dúvida?

Podemos te ajudar com os desafios do seu negócio e encontrar a solução ideal

Entre em contato

Nosso website faz uso de cookies. Para mais informações, acesse nossa Política de Cookies.

Vendas pelo Whatsapp

Suporte
ao cliente