Compartilhe

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Twitter Compartilhar no Whatsapp

Evolução de meios de pagamento nas farmácias

Evolução de meios de pagamento nas farmácias

Por Guilherme Pivetta Viani, analista de negócios do segmento de farmácias na Linx

O comércio varejista está em constante mudança, mas uma inovação se destaca: as novas formas de pagamento, como as carteiras digitais. Os aplicativos de carteiras digitais, também conhecidos como wallets, são aplicações que permitem que seus usuários realizem transações de pagamento eletrônicas. Para isso, basta criar uma conta e utilizar um dispositivo eletrônico para acesso, como um aparelho celular. Atualmente existem diversas wallets disponível no mercado, cada uma com suas características e benefícios para seus clientes.

Meios de pagamento e a pandemia

O momento de pandemia nos forçou a adaptar as rotinas, e as carteiras digitais mostraram-se grandes aliada neste cenário já que através deste meio de pagamento evita-se o contato físico com objetos de uso comum, como dinheiro e máquina de cartão. Dessa forma, o consumidor realiza o pagamento das suas compras usando apenas o seu dispositivo de uso particular.

As wallets são semelhantes a uma carteira física, pois o usuário pode inserir seu cartão de crédito ou dinheiro (via transferência ou depósito), além de armazenar saldos de cashback. Importante destacar essa última opção, pois o cashback é uma modalidade de desconto que devolve parte do valor da compra para que o usuário possa utilizar em futuras transações, ou seja, um bom incentivo para fidelizar o cliente. Este conceito é um dos principais atrativos das carteiras digitais e um dos fatores do crescimento destes meios de pagamento.

A praticidade também é grande na hora de realizar um pagamento em um estabelecimento, já que basta apontar o celular para ler um código de barra, que pode ser fixo para cada caixa ou gerado dinamicamente para cada venda. O cliente também tem a possibilidade de selecionar a forma que deseja pagar, seja via cartão de crédito cadastrado ou saldo.

A tecnologia pode ser uma grande parceira na conciliação de mais esse tipo de pagamento. Existem sistemas que permitem que o comerciante, ao receber a confirmação do pagamento de um QR Code, já tenha acessos aos dados do pagamento realizado, tais como tipo de operação utilizada (crédito, débito, saldo ou PIX), valor da taxa aplicada na transação e quantidade de dias em que o pagamento será realizado em sua conta bancária. Estas informações de taxa e de prazo de pagamento auxiliam no gerenciamento da farmácia e um planejamento financeiro dos recebíveis da empresa, podendo prever desde os descontos realizados bem com o dia em que estes valores entraram no caixa da farmácia. Esta forma de controle colabora muito com a conciliação de recebíveis, ou seja, o processo de baixa dos títulos na retaguarda.

Os sistemas de gestão de farmácias da Linx já estão prontos para a integração com o QR Linx e ferramentas de pagamento através de Wallets, tornando possível, inclusive que o varejista ofereça a possibilidade de pagamento com mais de um QR Code, ou seja, para uma mesma venda o cliente pode utilizar mais de uma wallet ou mais de uma forma de pagamento, podendo ser elas crédito, débito, saldo na carteira digital ou PIX. Além disso, outro diferencial do QR Linx é que o valor gerado para pagamento é exatamente aquele a ser pago pelo cliente, ou seja, o estabelecimento nem precisa informar o valor, basta que o cliente confirme, o que agiliza o processo e diminui o risco de erro de digitação de valores durante o pagamento.

Por fim, a chegada do QR Code para pagamentos veio para flexibilizar a jornada de compra do consumidor e contribuir com os protocolos de segurança no cenário atual. Porém, não basta ter o método de pagamento sem conciliação ou organização, por isso a Linx entrega uma solução que agrega novos recursos e inovações para seus clientes.

Ir para

Nosso website faz uso de cookies. Para mais informações, acesse nossa Política de Cookies.

Vendas