Afinal, o crescimento do delivery vai continuar no pós-pandemia?
Delivery

Afinal, o crescimento do delivery vai continuar no pós-pandemia?

Em um momento complicado para toda a população e o mercado, a pandemia de Covid-19 trouxe grandes desafios para o setor de food service.

Porém, é dentro desses desafios que muitas empresas encontram oportunidades de adaptar seus serviços à demanda do público. Isso fica evidente com o crescimento do delivery em 2020 e 2021.

Agora que estamos visualizando finalmente o fim dessa crise, como será que esse modelo de atendimento se comportará na volta de uma normalidade de movimento em bares e restaurantes?

Neste artigo, vamos analisar mais a fundo o delivery pós-pandemia e como você pode manter o seu crescimento em um novo cenário. Acompanhe.

O crescimento do delivery deve continuar após a pandemia?

O baque que o mundo sofreu em 2020 e 2021 exigiu que empresas em todos os setores se adaptassem de alguma forma às restrições necessárias para a contenção da Covid-19. Em um momento tão turbulento e raro, foi difícil para muitos gestores analisar com frieza números de mercado — mudanças de estratégias e modelos de negócio que só devem ficar mais claros a partir de 2022.

O principal ponto nesse sentido para nossa discussão é entender que o crescimento do delivery já era uma realidade consolidada antes da pandemia. Pesquisas já apontavam em 2019 um crescimento constante da modalidade de entrega, 23% maior que em 2018.

Ou seja, o que aconteceu durante o período de distanciamento social foi uma aceleração do crescimento desse tipo de serviço com o fechamento temporário de estabelecimentos físicos.

Analisando sob esse ponto de vista, é seguro dizer que a tendência de crescimento não deve parar com o total restabelecimento das operações dos restaurantes. Forçadamente ou não, a população criou um hábito; e hábitos se tornam uma cultura. É sobre isso que falaremos no próximo tópico.

O que dizem as pesquisas a respeito disso?

As primeiras pesquisas mais completas sobre o crescimento do delivery em 2020 demonstram uma realidade que já vivíamos em nossas rotinas.

Em pesquisa realizada pela Industry Insights, podemos ver que o perfil de consumidor de delivery se aprofundou durante a pandemia. Pelas respostas coletadas, metade da população pode ser considerada light user — utiliza a entrega em domicílio pelo menos uma vez por mês.

Já 30% dos entrevistados consideram sua frequência entre 2 vezes por mês ou 1 vez na semana. Uma porcentagem considerável, de 19%, entra no perfil heavy user — usa delivery entre 2 e 4 vezes na semana.

O mais interessante nesses números é que não só a frequência aumentou, como também a variação nos tipos de delivery e programas de fidelidade. Uma pesquisa da USP aponta esse movimento, com crescimento considerável de entrega de produtos de supermercado e alimentação mais saudável, como frutas e hortaliças.

Analisando esses números fica claro que o delivery não apenas aumentou em demanda, como ele vem se consolidando como um hábito rotineiro para os brasileiros, que deve se sedimentar em paralelo com as outras opções. O futuro para o food service, portanto, é de multicanalidade e variação de experiências de consumo.

crescimento no delivery

Como o delivery pode ser proveitoso pós-pandemia?

Se fica claro que o crescimento do delivery não é apenas uma tendência e que vai continuar em crescimento nos próximos anos, esta é a hora perfeita para investir ainda mais no serviço e ter mais opções para seus clientes.

Foco em experiência, investimento em tecnologia e preparo são fundamentais para essa busca. Veja alguns pontos de atenção que podem fazer a diferença no seu sucesso de 2022 em diante.

Capacite os colaboradores

Integrar de verdade o atendimento local com o delivery, oferecendo uma experiência única de consumo e contato com a marca: esse é o grande objetivo do food service a partir de agora.

Isso vai exigir investimento em tecnologia e capacitação profissional para um modelo eficiente e satisfatório para os clientes. Atendimento e gestão de pedidos, principalmente, são diferenciais que muitas vezes falam mais alto do que preço.

Invista em boas embalagens

Falamos muito em experiência porque esse é o grande ponto de destaque de negócios em um modelo tão competitivo e sem contato direto com o estabelecimento.

Empresas que operam no delivery devem encantar com a principal interação física entre cliente e marca. Embalagens diferenciadas, práticas, sustentáveis e com linguagem adequada para o cliente aproximam esse contato e incentivam uma conexão mais duradoura.

Use os canais digitais para se relacionar

Além das embalagens, o seu foco deve estar no marketing digital, que é onde você pode realmente manter um diálogo com seus clientes fora do estabelecimento.

Crie uma campanha específica e permanente para o delivery, mantendo assim uma base de público que não dependa tanto do estabelecimento físico para que o negócio fature mais.

Ofereça vantagens aos clientes recorrentes

Programas de fidelidade fazem muito sucesso no delivery. Cupons de desconto, brindes, itens extras na entrega: tudo isso incentiva o consumidor a pedir com mais frequência.

Ter uma base fidelizada é uma garantia de estabilidade financeira e, ainda mais, de segurança operacional em crises que não podem ser previstas como a pandemia. Com planejamento e relacionamento, você sempre terá seu público cativo.

Como utilizar o Delivery para superar a crise pós pandemia

Crie um clube de assinatura

Os modelos de clube de assinatura no restaurante se mostraram muito interessantes para encorpar ofertas de delivery no Brasil. Em vez de entregar compras avulsas, você cria planos de assinatura e entrega uma seleção de produtos periodicamente para seus clientes — criando um relacionamento ainda mais fidelizado e próximo com uma base sólida de público.

Tenha uma plataforma de delivery própria

Encontre uma forma de ser mais independente. Construa uma plataforma multicanal própria com aplicativo e site próprio, além de recebimento de pedidos via WhatsApp, Messenger e redes sociais — todos centralizados em um só lugar. Claro que abrir mão dos marketplaces não é uma boa ideia, já que eles trazem um bom fluxo de novos clientes, mas combine isso com uma estratégia de fidelização para que estes novos clientes consumam com maior recorrência no seu estabelecimento.

Assim, você permitirá que seu negócio tenha maior previsibilidade de demanda, maior exposição de marca e uma melhor margem, uma vez que em seus canais próprios não haverão taxa por pedido e você pode estabelecer uma régua de relacionamento com ações de marketing.

Quais são as vantagens para os restaurantes?

Investir em delivery no pós-pandemia é aproveitar uma oportunidade de pico de crescimento na modalidade para consolidar o seu negócio como uma opção única e atraente no mercado.

Conhecendo seu público mais a fundo e se adaptando a seus novos hábitos, você se torna uma presença mais constante na vida desses consumidores. Assim, você tem uma visibilidade plena no dia a dia do seu cliente, que vai além da saída de fim de semana ou das compras do mês.

O crescimento do delivery abre caminhos para restaurantes. É crescer muito mais do que o tamanho de seu estabelecimento físico. Com suporte tecnológico, foco em inovação e muito trabalho, você tem tudo para encontrar mais sucesso depois de um momento tão difícil.

E aí, gostou da nossa conversa? Que tal se informar e discutir ainda mais sobre os rumos do food service no Brasil? Então assine a newsletter do blog da Linx e fique por dentro das novidades para o seu negócio!

Ficou com
alguma dúvida?

Podemos te ajudar com os desafios do seu negócio e encontrar a solução ideal

Entre em contato

Nosso website faz uso de cookies. Para mais informações, acesse nossa Política de Cookies.

Vendas pelo Whatsapp

Suporte
ao cliente