Como o setor de Moda pode aproveitar bem a Copa?

Como o setor de Moda pode aproveitar bem a Copa?

O Varejo de Moda tem muitas oportunidades na Copa. Saiba como aproveitar esse momento para gerar mais resultados

Falta pouco para que o Brasil entre em “modo Copa”. É aquele período de quase dois meses em que tudo se organiza em torno de uma bola de futebol e da torcida pela seleção. Das compras antes do início dos jogos até o dia a dia das empresas e das pessoas, o país inteiro se transforma. E essa transformação tem um grande impacto sobre o setor de moda na Copa.

Neste ano, a Copa tem um componente extra: ela acontece em novembro/dezembro, e não no tradicional período de julho/agosto – o calor no deserto do Catar tornaria impossível um bom espetáculo durante o verão. Para o varejo brasileiro, a mudança de data faz a Copa acontecer durante a temporada de Black Friday e na corrida para o Natal – trazendo mais complexidade para o planejamento das promoções e da operação das lojas.

O grande desafio é: como acertar na gestão das ações durante este período? Como impulsionar as vendas de moda na Copa sem canibalizar a Black Friday e o Natal? Para isso, esteja atento a estes 4 pontos importantes.

Moda na Copa do Mundo

1) De olho no calendário

A Copa do Mundo começa no dia 20 de novembro, 5 dias antes da Black Friday – e a estreia do Brasil acontece na véspera da data promocional. A final da Copa acontece no dia 18 de dezembro, uma semana antes do Natal. Como dificilmente o Brasil fará apenas 3 jogos (só fomos eliminados na primeira fase em 1966) e perder nas oitavas de final é raro (apenas em 1990), espere que o clima de Copa esteja presente no mínimo até as quartas de final, nos dias 9 e 10 de dezembro. Chegando às semifinais, o Brasil disputa mais dois jogos e estará no mínimo na decisão de 3º lugar, no dia 17 de dezembro.

2) Qual é o comportamento do consumidor?

A Copa influencia fortemente o comportamento dos consumidores. Segundo o Google, que mapeou as expectativas dos consumidores e sua intenção de compra durante o período, 86% dos brasileiros pretendem acompanhar os jogos e o interesse é quase 50% maior que na Copa passada. Além disso, existem 4 grandes momentos de compra, começando com as grandes aquisições planejadas de televisões, celulares e eletroeletrônicos e chegando até a cerveja e os petiscos para acompanhar as partidas.

3) Qual é a influência da Moda na Copa?

Para o setor de Moda, a Copa é muito importante, pois estimula a venda de camisetas, artigos esportivos e produtos com a temática do evento. Embora a maior parte dessas vendas se concentre nas duas semanas pré-Copa (coincidindo com a Black Friday), quanto melhor a seleção jogar e mais avançar no torneio, mais aumenta o clima de otimismo, o que gera mais oportunidades de venda não apenas em relação à Copa, mas também para o Natal (lembre-se do calendário diferente neste ano!).

Tradicionalmente, o período de Copa é uma época em que o verde e o amarelo ganham destaque no guarda-roupa das pessoas. Nos últimos anos, porém, a política deu uma outra conotação ao uso dessas cores, o que pode exigir alguma criatividade para incorporar o clima do torneio ao dia a dia. Ainda assim, é possível trabalhar estampas e cores para “colocar mais futebol” em sua loja.

4) Como fazer o planejamento promocional?

Tradicionalmente, a Copa acontece em um período sem outras campanhas promocionais, o que deixa o varejo um pouco “órfão” quando o torneio termina (ou o Brasil é eliminado). Desta vez, porém, o pré-Copa terá clima de Black Friday e o Papai Noel embalará o pós-Copa. Se o Hexa vier, o “bom velhinho” deverá trocar de cor e usar verde e amarelo. Se o título não vier, será possível mudar rapidamente para a campanha de Natal.

Para aproveitar bem todas as oportunidades, o varejo de Moda precisa trabalhar com vários cenários na Copa:

  • Pré-Copa: aproveitar a Black Friday para vender produtos com a temática do futebol é uma certeza. Faltando poucos dias para a estreia do Brasil e para o pico de vendas da Black Friday, é inevitável que os temas se misturem. Uma boa possibilidade é aproveitar o “Black November” e desenvolver promoções gamificadas, trabalhando o omnichannel a partir dos dados dos consumidores, dentro de uma régua promocional.
  • Pense nos adversários: é possível trabalhar ações pontuais, especialmente com o mote do próximo desafio do Brasil. Tudo bem que Camarões, Sérvia e Suíça não são exatamente potências futebolísticas, mas se o público de sua região tiver ascendência desses países, existe um gancho para ir além do “pra frente Brasil”. Nas oitavas de final, o adversário do Brasil poderá ser Portugal ou Uruguai, e essa estratégia de vender Moda com a cara da outra torcida pode funcionar melhor em regiões com grandes colônias desses países.
  • Crie motivações instantâneas: segmentos como bares e restaurantes costumam aproveitar bem oportunidades ligadas ao resultado dos jogos. O tradicional “para cada gol do Brasil o chopp é por nossa conta” pode ser adaptado para a Moda, seja na oferta de brindes, seja nos descontos para os itens de Copa. Um exemplo é dar 10% de desconto nos 3 dias seguintes ao primeiro jogo caso o Brasil ganhe de 1×0, ou 20% se vencer por dois gols.
  • Aproveite bem a primeira fase: essa é uma questão que não envolve apenas as promoções, mas até mesmo o planejamento de estoque. O ideal é vender todo o estoque durante a primeira fase, que termina no dia 02 de dezembro, e então já virar a loja para o Natal. Dessa forma, dificilmente haverá pressão por desovar o estoque, ou “micar” parte do mix no caso de uma saída precoce do torneio. Por isso, concentre as ações de venda nos primeiros dias da Copa e no período pós-Black Friday.
  • Esteja preparado para “virar a chave”: quando o Brasil sair da Copa, ou se perder nas semifinais e disputar o terceiro lugar, as atenções dos consumidores se voltarão para o Natal. Por isso, sua loja precisa estar preparada para esse momento. No digital, prepare suas campanhas de fim de ano e garanta que seu e-commerce e seu hub de marketplaces possam substituir rapidamente todas as campanhas quando for necessário. O varejo físico também precisará fazer essa virada rapidamente, então tenha as peças da nova campanha já nas lojas a partir do início de dezembro, para migrar quando for necessário.
  • Aproveite o poder dos dados: a coleta e análise dos dados dos consumidores é essencial para organizar bem as compras e ter o volume certo de estoque em cada ponto de venda. Da mesma forma, é um recurso essencial para fazer o cliente voltar para uma próxima compra na temporada de Natal e para criar um fluxo de consumo. Lembre-se: a visita do cliente na Black Friday ou durante a Copa não encerra a venda – na verdade, pode ser o início de um longo relacionamento.

A Copa está chegando – e com ela surgem grandes oportunidades de venda e de construir relacionamentos de longo prazo com os clientes. com tecnologia, uso de dados e criatividade, você pode dar um grande impulso às suas vendas de Moda.

A Linx possui soluções completas para a gestão de lojas físicas e do varejo digital, aproveitando o poder dos dados para fazer sua marca conhecer melhor os clientes e se relacionar com eles de forma mais assertiva. Faça como os maiores varejistas brasileiros: utilize nossas soluções e tenha um negócio mais produtivo e eficiente.

Ficou com
alguma dúvida?

Podemos te ajudar com os desafios do seu negócio e encontrar a solução ideal

Entre em contato

fale com a gente!