Live Commerce: como fazer a partir da loja física
Varejo

Live Commerce: como fazer a partir da loja física

O live commerce é uma das grandes tendências do varejo, e a loja física pode ser um grande impulso às vendas por essa plataforma. Saiba como fazer.

O varejo atual é um varejo sem fronteiras, em que físico e digital se misturam com muita facilidade, ao sabor do que é mais importante para o consumidor em cada momento. E esse é um movimento impulsionado pelos clientes: empoderados pelos smartphones, todos nós estamos acostumados a transitar entre online e offline.

Podemos estar na loja física e pesquisar o mesmo produto em outra loja, podemos navegar em várias lojas online ao mesmo tempo para tomar a melhor decisão. A distância entre ver um produto em uma rede social e experimentá-lo na loja física pode ser muito pequena. Tudo depende do que o cliente deseja a cada momento.

Nos últimos meses, a principal novidade na integração entre online e offline atende pelo nome de live commerce. Também chamado de live streaming, pode ser definido como a apresentação de produtos a partir de lives. Facilita a interação ao vivo dos clientes com as marcas, tira dúvidas, estimula o engajamento. Mas pode ser muito, muito mais.

O básico: uma ideia repaginada

Canais de vídeo para venda de produtos não são, nem de longe, uma novidade no varejo. A americana Qurate, por exemplo, abriu seu capital na Bolsa de Valores Nasdaq em 1991, como QVC, e fechou 2020 com um faturamento de US$ 14,2 bilhões. Mas o live commerce traz uma nova cara para uma ideia consolidada.

No passado, um programa era gravado e transmitido em emissoras de TV. Os clientes então ligavam para uma central telefônica para fazer seus pedidos. Mais tarde, boa parte das transmissões passou a ser ao vivo, com ofertas que duravam somente até o final do programa. Mas, novamente, a compra em si precisava ser fechada por telefone.

O live commerce mais básico traz essa mesma ideia, mas com um QR Code na tela da live (que é transmitida no YouTube ou no site da marca), ou com um link no perfil da rede social para acessar o catálogo de produtos. É uma ideia repaginada.

No início da pandemia, quando as lojas fecharam, as lives se tornaram uma forma de manter contato com o cliente e estimular vendas, aproveitando algumas possibilidades de interação (como comentários ou envio de perguntas). Mas é possível fazer muito mais.

Live commerce full power: interação total

Na China, o live commerce é um tsunami de vendas, alcançando 560 milhões de pessoas e movimentando US$ 60 bilhões por ano. Por lá, essa forma de vendas já responde por 9% das vendas online, ou quase 5%  de todas as vendas do varejo chinês.

A grande diferença do modelo chinês é o altíssimo nível de interatividade. Ver um influencer falando sobre um produto e então comprar o produto em outra plataforma? Não! Em marketplaces como o Taobao, é possível clicar nos produtos que estão sendo apresentados e já colocá-los no carrinho de compras, sem perder nada da transmissão. Uma ferramenta de vendas poderosíssima.

O “jeito chinês de fazer live commerce” promove uma experiência altamente imersiva, e o melhor lugar para esse tipo de experiência é a própria loja física, onde a marca pode apresentar seu posicionamento com muito mais força.

live commerce como fazer

Ponto de venda: o centro da experiência

A loja física continuará sendo o centro da experiência de consumo. Mas, para isso, é preciso ter uma nova loja física, que seja proativa no relacionamento com o cliente e altamente digitalizada.

Essa loja física é, por definição, omnichannel: ela integra o digital e o físico, permitindo que os clientes se relacionem com os vendedores mesmo fora da loja, tirem dúvidas, conheçam mais sobre os produtos e tenham acesso a todo o estoque da loja. Mesmo ao que não está disponível naquele PDV naquele momento.

Por essa capacidade de ser o centro da experiência de relacionamento com a marca, o ponto de venda é o lugar ideal para fazer seu live commerce:

  • Os produtos que serão colocados à venda na live estão todos na loja;
  • Durante o live commerce, é possível passear pela loja, fazendo com que o cliente faça uma imersão virtual no universo da marca;
  • Responder dúvidas dos clientes é muito mais fácil quando todo o mix está disponível;
  • Criam-se outras oportunidades de venda, como produtos relacionados ao item em promoção;
  • Todo o processo de venda se torna mais dinâmico, interativo e empolgante. Afinal de contas, os clientes continuam gostando das lojas físicas;
  • É possível utilizar o ponto de venda como parte do suporte ao cliente. Se ele tem dúvida sobre um produto, uma live é o formato ideal para fazer com que as objeções sejam eliminadas.

Utilizar a loja física para realizar as ações de live commerce é, então, uma grande ideia. Mas como fazer isso?

Banner CTA_Como criar promoções no varejo para conquistar clientes

Live streaming na loja física: como fazer

Uma ação de live commerce na loja física deve ser tão planejada quanto se ela acontecesse em um estúdio. Por isso, esteja atento a alguns pontos importantes:

  • Escolha bem o cenário: a loja física é o lugar ideal, porque mergulha o cliente no universo da marca. Escolha o melhor local em função dos produtos que serão mostrados e evite lojas com grande movimento. O live streaming deve interferir o mínimo possível no dia a dia da loja.
  • Defina o roteiro: que produtos serão mostrados e quais as condições promocionais? Todo o planejamento necessário para uma ação promocional precisa ser aplicado aqui. O live streaming não é só um passeio pela loja: é uma oportunidade de mostrar o que você tem de melhor. Capriche!
  • Prepare a venda online: se a opção for por um live commerce mais simples, com um QR Code, é preciso cuidar de vários aspectos da venda online. Entre eles estão a construção de uma vitrine promocional para os itens apresentados na live, a definição de um mix de itens acessórios que possam estimular o cross selling e o uso de meios de pagamento ágeis.
  • Cuide da infraestrutura: o varejo precisa estar atento a questões como os links de dados da live e sua integração com a estrutura do próprio negócio. Detalhes como uma transmissão que trava ou que tem atraso nas respostas às perguntas dos clientes prejudicam a experiência e reduzem o potencial de vendas. A loja física precisa ser um centro de conectividade digital.
  • Interaja: o live commerce funciona muito melhor quando é uma conversa com os clientes, e não um evento de vendas. Abra oportunidades para tirar dúvidas, para ouvir o que o público tem a dizer e para mudar o roteiro de acordo com o que o público quiser ver. Seja flexível e encante os clientes!

O live commerce não é uma moda passageira. Muito pelo contrário: quanto mais digital a loja física for, maiores serão as oportunidades de vender online a partir do PDV. Esteja atento a essa tendência e multiplique suas vendas.

Da plataforma de e-commerce às soluções de pagamento, passando pela infraestrutura, a Linx entrega toda a tecnologia necessária para fazer o seu live commerce acontecer.

Ficou com
alguma dúvida?

Podemos te ajudar com os desafios do seu negócio e encontrar a solução ideal

Entre em contato

Nosso website faz uso de cookies. Para mais informações, acesse nossa Política de Cookies.

Vendas pelo Whatsapp

Suporte
ao cliente