Compartilhe

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Twitter Compartilhar no Whatsapp

Black Friday: 5 estratégias indispensáveis para garantir o sucesso do ecommerce no evento

Black Friday: 5 estratégias indispensáveis para garantir o sucesso do ecommerce no evento

Agora é a hora de definir se sua Black Friday será um sucesso. Descubra onde estão as oportunidades para aumentar suas vendas na data promocional.

 

A Black Friday deste ano promete ser a data mais importante do varejo brasileiro. A continuidade do auxílio emergencial até dezembro reduz as incertezas para o segundo semestre, mas com o coronavírus ainda por aí, as mudanças no comportamento dos consumidores e a digitalização dos negócios na pandemia, a Black Friday pode se transformar em uma grande celebração online do fim da crise.

Com a expectativa de quebra dos recordes de vendas do ano passado (quando as vendas subiram 24% em relação a 2018), quem estiver bem preparado para enfrentar o mês de novembro terá bons resultados não somente na Black Friday, mas também no Natal e ao longo de 2021. A infraestrutura de hoje é o alicerce para o crescimento futuro.

Para obter bons resultados durante a Black Friday, sua plataforma de ecommerce precisa estar preparada para lidar com uma série de fatores importantes. 

Alta disponibilidade e escalabilidade da plataforma

Com um alto volume de acessos e vendas concentrado em poucas horas, a Black Friday é um momento de stress para as operações de ecommerce. Para os clientes, também é um momento de decisões rápidas. Nada é mais frustrante para o consumidor do que um site fora do ar, lento ou que apresenta dificuldades para a conclusão de uma compra.

Sua plataforma de ecommerce não precisa ser capaz somente de aguentar um alto volume de acessos simultâneos: ela também precisa lidar bem com picos de demanda. De acordo com o estudo da Linx Digital sobre a Black Friday 2019, no ano passado ocorreram 3,5 milhões de requisições de acesso por minuto no horário de pico do evento, que se transformaram em mais de 1 milhão de pedidos nas primeiras 24 horas da data promocional.

Mesmo assim, a disponibilidade dos sites ficou acima de 99%, ou seja, nossos ecommerce não caíram durante a Black Friday. Para conseguir isso, lidando com uma carga concentrada em um período muito curto de tempo, a infraestrutura utilizada pela Linx Digital para suportar a operação de seus clientes foi cinco vezes superior àquela necessária para dias comuns. Foram usados, por exemplo, 36 TB de memória durante a Black Friday, 9 bilhões de vezes mais que a memória do computador de bordo da Apollo 11, que levou o Homem à Lua pela primeira vez.

Integração omnichannel

Hoje em dia, é impossível separar varejo online e varejo offline. Isso já era uma realidade antes da pandemia, mas o Covid-19 acelerou uma série de iniciativas de integração de canais. Por isso, seu planejamento para a Black Friday precisa considerar as ações omnichannel.

Na Black Friday 2019, 15% das compras online feitas nos sites de clientes da Linx Digital foram retiradas em lojas físicas. Isso mostra que o “clique e retire” é uma realidade no varejo brasileiro. Os consumidores aceitam a ideia de ir ao PDV retirar um produto e receber os benefícios do frete grátis e de um prazo mais enxuto de entrega.

Em novembro, com a economia já em reativação e o final da pandemia, certamente os consumidores estarão mais receptivos à ideia de retirar produtos nas lojas físicas. A possibilidade de fazer toda a escolha dos produtos em casa, sem se expor a nenhum risco, e ir ao PDV somente para retirar uma compra é um atrativo que irá seduzir boa parte dos consumidores.

 

É a hora de enviar seus produtos pela loja física

A modalidade omnichannel que mais vem crescendo é o uso das lojas físicas como mini centros de distribuição – o chamado ship from store. Nos primeiros dias da pandemia, com os pontos de venda totalmente estocados, mas de portas fechadas, muitos varejistas perceberam que seria mais competitivo atender os consumidores a partir das lojas físicas, mais próximas da casa dos clientes.

Isso impulsionou o ship from store. Se em um primeiro momento as lojas físicas fechadas viraram hubs de distribuição, diversas redes criaram até mesmo ghost stores, lojas que só funcionam para atender a operação online. O resultado de tudo isso será visto na próxima Black Friday.

Em 2019, houve um aumento de 320% na participação de pedidos online atendidos pelas lojas físicas. Neste ano, com o impulso que foi dado ao ship from store durante a crise, os consumidores irão se beneficiar de prazos mais enxutos de entrega. Plataformas de ecommerce que tiverem a visibilidade dos estoques das lojas estarão em uma posição privilegiada para atender às expectativas dos clientes.

 

Integração aos marketplaces

Os marketplaces se transformaram, em 2020, no principal motor do varejo online brasileiro. Segundo o relatório Webshoppers, no primeiro semestre deste ano nada menos que 78% das vendas do ecommerce aconteceram por meio de marketplaces. As vendas por meio de plataformas de ecommerce como Magazine Luiza, Casas Bahia e Netshoes saltaram 56% sobre o mesmo período de 2019.

Isso significa que seu ecommerce precisa estar integrado aos principais marketplaces do mercado e que uma estratégia bem-feita de publicidade nesse canal pode gerar frutos muito relevantes para seu negócio. Com os marketplaces, seu ecommerce alcançará um público mais amplo, aumentará suas vendas e poderá colher mais informações úteis para a tomada de decisões.

 

Novos meios de pagamento

Durante a pandemia, os links de pagamento e os meios de pagamento contactless em lojas físicas ganharam espaço. Operações de ecommerce pouco flexíveis tiveram grande dificuldade em acompanhar a mudança de comportamento dos clientes e perderam espaço para concorrentes mais ágeis, capazes de aceitar novas modalidades que ganharam a preferência do público.

Poucos dias antes da Black Friday, entrará em operação o PIX, sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central. Entre suas vantagens está a possibilidade de realização de transferências bancárias em tempo real, com potencial para substituir DOCs, TEDs e pagamentos via boleto. Todas as instituições financeiras com mais de 500 mil clientes são obrigadas a aderir ao PIX e, por isso, a nova forma de pagamento irá estrear em grande estilo na data promocional.

Plataformas de ecommerce capazes de integrar rapidamente novos meios de pagamento, sem processos complexos de adaptação e customização, oferecem mais agilidade para o varejo. Especialmente na Black Friday, em que a área de TI da empresa está comprometida em garantir que as vendas aconteçam. Por isso, contar com um parceiro de tecnologia que integre o PIX automaticamente à solução de ecommerce é uma forma de resolver rapidamente a situação e passar uma imagem de modernidade para os clientes.

 

Faltando pouco mais de dois meses para a Black Friday, este é um momento decisivo em sua preparação. Caso sua plataforma de ecommerce não esteja preparada para o omnichannel, tenha dificuldade em se integrar a marketplaces ou trave a entrada de novos meios de pagamento, é hora de discutir seriamente a migração para uma plataforma que dê mais segurança e impulsione suas vendas.

 

Você sabia que 9 dos 10 maiores ecommerces brasileiros são clientes Linx Digital e 70% dos dados do varejo online brasileiro são processados por nós? Para ampliar seus resultados nesta Black Friday, conte com a gente: nossas soluções são líderes de mercado.

Ir para

Nós usamos cookies para criar uma experiência de navegação melhor e oferecer conteúdo adequado aos seus interesses. Ao acessar o site da Linx, você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Vendas