Compartilhe

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Twitter Compartilhar no Whatsapp

As lições do dia dos pais para o ecommerce neste segundo semestre

As lições do dia dos pais para o ecommerce neste segundo semestre

Depois de crescer 22% no início de agosto, é hora de preparar ações de Dia das Crianças, Black Friday e Natal.

O que vem por aí?

 

Desde o início da crise do coronavírus, em março, o ecommerce vem sendo o destaque do varejo brasileiro. O fechamento das lojas físicas fez com que empresas de todos os portes percebessem a importância de ter uma operação online sólida para alcançar os consumidores. Quem já estava preparado vem tendo um crescimento acelerado, ganhando a preferência dos clientes. Quem precisou correr atrás vem mostrando muita agilidade para se adaptar à nova realidade do varejo.

O Dia dos Pais mostrou muito bem as mudanças de comportamento dos consumidores e a realidade que o país vive atualmente. Enquanto as vendas totais do varejo recuaram 8,8% na semana anterior ao Dia dos Pais em relação ao mesmo período de 2019, no ecommerce houve um crescimento de 22%. O resultado total do varejo pode ser considerado positivo, já que em março o faturamento tinha sido 50% menor e, no Dia das Mães, 26% inferior.

Se olharmos um horizonte de tempo mais longo, o crescimento é ainda maior: entre os dias 25 de julho e 08 de agosto, o ecommerce movimentou R$ 5,4 bilhões, segundo a Neotrust, um crescimento de 95,4% em relação ao mesmo período de 2019. Nas duas semanas anteriores ao Dia dos Pais, o consumidor foi aos sites em busca de presentes e encontrou o que precisava.

O chamado “varejo essencial”, formado pelos setores que puderam continuar abertos durante toda a crise, como supermercados e farmácias, cresceu no Dia dos Pais. O desafio foi maior nos outros setores, em que o ecommerce tem um papel essencial como canal de vendas e para manter ativo o relacionamento com os clientes.

Ao mesmo tempo em que o comércio físico vem gradualmente reabrindo as portas, com limitações de tempo de funcionamento e fluxo de clientes, o ecommerce continua acelerando seu crescimento. Os consumidores tiveram tempo de se habituar com um novo estilo de vida, mais digital, e as boas experiências de compra online estimulam novas visitas, criando um ciclo virtuoso de expansão das vendas.

Neste segundo semestre, datas comemorativas importantes, como Dia das Crianças, Black Friday e Natal, aumentam as expectativas de vendas. A que pontos as empresas precisam estar atentas para calibrar suas ações e obter os melhores resultados possíveis?

 

A recuperação econômica

O cenário macroeconômico para o segundo semestre ainda tem muitas incertezas. A maior delas é o tamanho e a duração do auxílio emergencial de R$ 600, que tem tido um impacto muito importante nas vendas do varejo (47% das famílias brasileiras recebem o auxílio). A expectativa é de uma redução no valor do coronavoucher e, provavelmente, sua extinção até o final do ano.

A medida terá efeito imediato na capacidade de consumo de grande parte da população e, com isso, no desempenho do varejo. Ecommerces que tiverem experiências de compra relevantes, souberem se comunicar bem com o público e tiverem meios de pagamento integrados ao auxílio emergencial ficam em posição melhor para aproveitar este momento.

 

Atenção aos investimentos

A retomada da economia no pós-pandemia não permite abrir mão do controle sobre os custos. É preciso estar atento ao retorno sobre os investimentos. Iniciativas que diminuam o Custo de Aquisição de Clientes (CAC) e entreguem melhores resultados, como programas de receita recorrente e assinaturas de produtos e serviços, serão aliados importantes no controle dos custos.

Nas grandes datas promocionais deste segundo semestre, é importante ter foco em performance. O uso de soluções de personalização, mídia e retargeting aumenta o fluxo de clientes, a conversão no ecommerce e o volume de vendas. Esteja atento à otimização de seus investimentos para obter melhores resultados.

 

A experiência de compra

Do algoritmo de busca usado em seu ecommerce à automatização dos emails de relacionamento e ao atendimento no SAC, todos os pontos de contato com a marca influenciam a experiência de compra dos consumidores. Para entregar melhores experiências, não existe uma solução mágica: é preciso melhorar cada interação com o cliente, redesenhando processos, treinando pessoas e utilizando as tecnologias mais avançadas.

Na atual crise, o crescimento do ecommerce tem muito a ver com a entrega de uma melhor experiência de compra. A usabilidade do seu site, a responsividade, a agilidade no carregamento das páginas e a integração com parceiros devem ser revistas, na busca por ganhos de performance.

 

Hora de ser omnichannel

O consumidor é omnichannel e cabe às empresas acompanhar seus clientes. Derrubar as barreiras internas entre online e offline é essencial para reduzir a ruptura dos estoques, aumentar a conversão no ecommerce e nas lojas físicas, aumentar o ticket médio e coletar mais dados sobre os clientes para entendê-los melhor.

Recursos como o click & collect e o ship from store são importantes para a experiência do cliente. Os consumidores querem comprar de forma prática e receber produtos rapidamente. Ao mesmo tempo, o varejista precisa ter uma operação saudável. O uso dos estoques das lojas para o processamento de vendas online ajuda a reduzir custos e aumentar a agilidade do delivery, mas só é possível com uma estrutura tecnológica preparada para lidar com a complexidade do omnichannel.

 

Flexibilidade e agilidade

Uma coisa é certa: seja quais forem seus planos, eles precisarão ser revistos com frequência. O cenário econômico está cheio de incertezas, sempre existe o risco de uma nova onda de contágio do coronavírus e o comportamento dos consumidores pode mudar ao sabor das notícias. Por isso, faça um bom planejamento, mas tenha muita flexibilidade e agilidade para lidar com o inesperado.

Este segundo semestre poderá ser muito positivo para as empresas que estiverem atentas aos movimentos de seus clientes e consigam se adaptar rapidamente às mudanças do mercado. Dos parceiros logísticos à plataforma de ecommerce, é preciso contar com parceiros capazes de atender às suas necessidades. Dessa forma, você poderá ter excelentes resultados em suas vendas.

 

A Linx possui uma solução omnichannel projetada para aumentar seu relacionamento com os clientes e impulsionar suas vendas. Conte com a gente!

 

Quer saber como a Linx pode ajudar o seu negócio? Clique aqui.

Nós usamos cookies para criar uma experiência de navegação melhor e oferecer conteúdo adequado aos seus interesses. Ao acessar o site da Linx, você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Vendas