Compartilhe

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Twitter Compartilhar no Whatsapp

6 dicas para passar de posto individual para rede de postos

6 dicas para passar de posto individual para rede de postos

Saiba o que é preciso fazer para uma boa gestão de uma rede de postos 

No mercado de postos de combustível, revendedores de diferentes portes desejam ascender e aumentar as suas vendas a cada ano. Para isso, alguns procuram melhorar as estratégias de marketing e chamar a atenção do consumidor. Outros vão um pouco além, buscando aumentar a sua presença de mercado e ampliar o negócio.

Neste cenário não são poucos os donos de posto individual que assumem o controle de novos negócios, passando a formar uma rede. O objetivo é, basicamente, aumentar o marketshare e melhorar os resultados em vendas. 

Porém, nem sempre essa é uma tarefa simples. Exige comprometimento por parte da gestão e bons recursos e ferramentas para dar conta de uma demanda maior. Se você está ou pretende entrar neste processo de transição, separamos 6 dicas que devem guiá-lo durante essa mudança.

 

  • Saber gerir além do combustível

 

Toda ampliação de negócio impõe novas demandas e a implica no aumento de complexidade de outras tarefas. Afinal, são mais clientes, mais funcionários, mais variáveis de compra e venda de insumos.

Neste caso, para ter sucesso em um novo modelo de atuação, é preciso ir além do conhecimento de gestão de combustível, que, muitas vezes, é o único produto vendido pelo posto individual, e incluir no escopo de atividades funções que antes não faziam parte da sua rotina.

Além de monitorar e controlar o estoque de combustível, é importante saber gerir novos serviços, como troca de óleo e lavagem, e fazer a gestão de todos os itens vendidos na loja de conveniência. Ou seja, o dono do posto individual passa da gestão de um produto (combustível) para vários, com prazos de validade e fornecedores diferentes, o que exige maior conhecimento de gestão e, também, de tecnologias que podem apoiá-lo nisso.

 

  • Contratar administradores profissionais

 

Uma forma de contornar qualquer problema de gestão é contratar um administrador profissional para lidar com a gestão operacional. Muitas vezes, quem gerencia um posto de combustível individual é o próprio dono do posto e com o aumento do volume de demanda administrativa é possível que este se perca no controle.

Portanto, passando a gestão para um administrador que já tem conhecimento em gerenciamento de grandes redes, aumenta as suas chances de acerto, melhorando a qualidade de gestão e a administração de todas as unidades do seu negócio de forma centralizada. Isso garante um melhor desempenho do negócio, liberando tempo na agenda do próprio dono para pensar em estratégias de venda e marketing, por exemplo.

 

  • Buscar soluções de gestão e atendimento mais robustas

 

Outra possibilidade é buscar soluções de gestão para facilitar a organização do negócio que, agora, atende centenas de consumidores a mais. No backoffice, é importante ter um sistema que apoia todas as operações da rede, independentemente do tamanho do posto ou da região que ele atende – se é um posto de cidade, de rodovia ou um paradouro, por exemplo.

Neste caso, contar com uma software Enterprise Resource Planning (ERP) eficiente ajuda no controle de todas as informações, integrando dados das áreas de vendas, estoque, financeiro e atendimento. É uma solução que otimiza o trabalho do administrador do posto, permitindo reduzir custos e promover rotinas de gestão mais ágeis e eficientes.

Além disso, toda eficiência das tecnologias é refletida no atendimento realizado na pista de abastecimento. Hoje, é possível simplificar o momento da compra ao usar máquinas de cartão inteligentes, com sistema TEF, em que o consumidor faz o pagamento sem sair do carro. Uma opção que, além de ser segura – o valor do abastecimento não precisa ser digitado pelo frentista, ele aparece automaticamente na máquina -, é mais prática para a administração financeira do posto, eliminando qualquer quebra de caixa devido a erro humano.

Leia mais: Vulcania adota POS TEF para melhorar a experiência dos seus clientes

 

  • Adotar novas estratégias de precificação

 

Se no posto individual era preciso definir regra de preço para um estabelecimento e combinar as suas decisões com as mudanças de preço praticadas pelos concorrentes, em uma rede de postos o trabalho de precificação é mais desafiador. É preciso pensar em estratégias para postos que estão em regiões distintas, com demandas diferentes, e públicos heterogêneos.

Para isso, é importante contar com bons gestores e também com as tecnologias certas para criação de regras para reajuste programado de preços. Além disso, é necessário adotar boas estratégias de precificação, que envolvem o monitoramento do cenário econômico e de mercado, bem como os preços praticados pela concorrência.

A proposta é sempre posicionar-se frente aos postos de outras redes, aumentando ou diminuindo os preços conforme a necessidade, em dias da semana específicos, levando em conta outras variáveis da região em que determinado posto da sua rede se encontra, como o fluxo de pessoas e os picos de vendas.

 

  • Oferecer novo treinamento para o frentista

 

Outro passo importante é realizar novos treinamentos com os frentistas para que todos conheçam o funcionamento do novo modelo de negócio. Eles farão parte de uma rede que abraça uma única marca, portanto, o bom atendimento deve ser prioridade.

A nossa dica é fazer workshops de integração com os colaboradores e oferecer treinamentos, incluindo a apresentação das novas ferramentas e tecnologias de gestão e atendimento que farão parte do escopo de trabalho dentro da rede de postos. A ideia, aqui, é que todos estejam alinhados com os novos processos e facilidades de operação.

Depois, é importante orientá-los sobre o uso de uniformes e equipamentos de segurança como par de luvas de PVC, capacetes ou boné, óculos de proteção, etc. no momento do atendimento. Além de proteger os colaboradores, é uma forma de passar toda a credibilidade da rede de postos para os consumidores.

 

  • Aprimorar técnicas para fidelizar o cliente

 

Quando se tem uma rede de postos, a cartela de usuários é maior, então é possível ampliar o programa de fidelidade da marca. Uma das formas é criar estratégias de fidelização para atingir diferentes públicos. Entre eles, os motoristas que desejam acumular pontos a cada abastecimento com a vantagem de trocá-los por produtos e serviços de diferentes marcas, bem como pela troca de óleo, calibragem e lavagem.

Outra possibilidade é gerar um programa específico para atender as demandas das frotas de empresas transportadoras. Nele, você pode oferecer compras de crédito para abastecimento com desconto e parcelar o valor sem juros, facilitando a vida do motorista e tornando mais ágil a operação logística das empresas.

Gostou das nossas dicas? Então continue acompanhando o blog e saiba como fazer uma boa gestão do seu posto de gasolina, independente do modelo de negócio.

Contato comercial
Envie uma mensagem ou Chat online

Telefone Comercial:

3003-0400

Atendimento de segunda a sexta, das 9h às 18h.

page pixel